SEGURANÇA

Com ações estratégicas, Maranhão reduz assaltos a bancos em 65%

Do total de ocorrências, mais de 95% foram solucionadas durante a investigação, sendo determinada a autoria, decretada a prisão e finalizado o processo

Reprodução

Diminuíram os casos de ataques a agências bancárias no Maranhão, nos últimos quatro anos. O resultado é fruto de operações específicas da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-MA), para o controle e prevenção deste crime. Relatório da Secretaria mostra que houve diminuição em 65,3% dos registros e queda gradativa, entre os anos de 2015 e 2018. Paralelamente, aumentou o grau de resolutividade dos casos.

Do total de ocorrências, mais de 95% foram solucionadas durante a investigação, sendo determinada a autoria, decretada a prisão e finalizado o processo. Investimentos do Governo do Estado no setor, desde o primeiro ano da gestão, em 2015, tornaram possível o alcance deste resultado. Entre as medidas da gestão está o aumento do efetivo; construção, reforma e modernização de estruturas da segurança; aquisição de novos veículos, armamentos e equipamentos; e valorização do policial.

Compromisso com o trabalho, planejamento das ações e reconhecimento do policial são as marcas da gestão Flávio Dino na condução da Segurança Pública, avalia o secretário de Estado de Segurança Pública (SSP-MA), Jefferson Portela. “O que presenciamos hoje é um avanço nessa área, com medidas históricas, a exemplo do maior número de policiais que o Maranhão já teve, o efetivo trabalhando com equipamentos e tecnologia de ponta, estruturas equipadas à altura do que merece e precisa o trabalho policial e o mais importante, temos policiais valorizados”, pontuou o secretário Portela.

Segundo o levantamento da SSP, enquanto em 2015 os roubos a banco totalizaram 101, no ano seguinte, com as ações do Governo do Estado, os registros caíram para 81, representando 19,8% menos casos. A queda desta criminalidade se repete nos anos seguintes, sendo pontuados 43 casos em 2017 (46,9% menos registros) e 35 casos em 2018 (18,6% menos registros). No período, foram instaurados e concluídos 154 inquéritos e cumpridos 442 mandados de prisão.

O Governo do Estado tem feito investimentos significativos na Polícia e valorizado este setor, o que reflete direta e positivamente na melhor qualidade do trabalho, observa o delegado geral de Polícia Civil, Leonardo Diniz. “Entendemos que com a estrutura devida e adequadamente munido, o policial tem mais condições de fazer o melhor na prestação da segurança à população”, destaca.

Este tipo de crime tem várias modalidades e a estratégia para combatê-lo se baseia na execução de operações específicas, tendo como alvo quadrilhas interestaduais, aponta o titular do Departamento de Combate a Roubos a Instituições Financeiras (DCRIF), delegado Luciano Corrêa Bastos. “Um dos desafios da polícia é impedir os ataques às agências que têm como alvo dos assaltantes os caixas eletrônicos, muitas vezes destruídos nas investidas”.

“A Segurança Pública possui um grupamento militar direcionado para estes casos nos municípios do interior do Estado, com treinamento e equipamentos que possibilitam interceptação de quadrilhas. Além deste, promove operações na Grande Ilha. O resultado é a queda nos registros a cada ano”, reitera o delegado Bastos. O DCRIF integra a Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), da Polícia Civil.

Os municípios do interior são os principais alvos das quadrilhas, devido a fragilidade estrutural e segurança precária das agências. Para controle de ocorrências nestas cidades, a SSP realiza a operação Maranhão Seguro, que envolve todas as polícias. O trabalho é executado em dias de maior movimentação nas agências bancárias.

As investigações cabem ao DCRIF que conta com apoio de um aparato de segurança integrando Seic, Centro Tático Aéreo (CTA) e núcleos da Polícia Militar, incluindo a Companhia de Operações em Sobrevivência em Área Rural (Cosar), criada para enfrentamento direto desse tipo de criminalidade.

O plano de ações preventiva da Segurança Pública inclui, ainda, monitoramento de áreas e melhorias em estruturas policiais das cidades. Equipes do Serviço de Inteligência e Batalhões de Polícia Militar distribuídos nos municípios somam às operações de segurança.

Desarticulação das quadrilhas

Entre os casos destacados está a prisão de Antoniel Silva Lima, 38 anos, líder de quadrilha, em janeiro de 2017. Conhecido no mundo do crime como ‘Cara de Babuíno’, teve participação direta em assaltos a agências nas cidades de Timbiras, Gonçalves Dias, São Domingos, São Mateus, Coelho Neto e Governador Eugênio Barros, entre os anos de 2015 e 2016.

Em novembro de 2018, a Segurança Pública prendeu 10 suspeitos de integrar a quadrilha que assaltou instituição financeira em Bacabal, apreendeu 13 armas e mais de 400 munições de alto calibre e recuperou R$ 45,6 milhões que estavam com a quadrilha. Cerca de 30 pessoas do Paraná, Tocantins, Sergipe, São Paulo e Salvador integravam o grupo criminoso.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias