ABUSO SEXUAL

João de Deus presta depoimento e diz não se lembrar das vítimas

Segundo advogado de defesa, médium negou ter cometido qualquer abuso contra mulheres; o interrogatório abordou três casos relatados por vítimas

O médium João de Deus chega à Casa Dom Inpacio Loyola, em Abadiânia, no dia 12 desse mês (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O médium João Teixeira de Faria, conhecido como João de Deus, prestou depoimento ao Ministério Público de Goiás (MPGO) nesta quarta-feira (26) e afirmou não se lembrar das mulheres que o acusam de abusos sexuais. Segundo seu advogado, Alberto Toron, João de Deus também negou ter cometido qualquer abuso contra mulheres em Abadiânia, interior de Goiás, onde atendia os pacientes.

João de Deus foi questionado pelos promotores e pela própria defesa sobre três casos de abusos sexuais. O MPGO recebeu mais de 600 denúncias até a atual data. O médium não foi interrogado sobre as armas e pedras preciosas encontradas pela polícia em endereços ligados ao acusado.

O médium chegou por volta das 10 horas no MPGO e saiu pouco depois do meio-dia. O interrogatório durou aproximadamente 1h30. Após o depoimento, João de Deus retornou ao Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, onde está preso preventivamente desde o dia 16 de dezembro.

João de Deus está preso desde o dia 16 de dezembro por suspeita de cometer abusos sexuais contra mais de 500 mulheres brasileiras e estrangeiras – dentre estas, duas são maranhenses. No dia 21, uma nova ordem de prisão foi dada por posse ilegal de arma de fogo, encontrada durante buscas da polícia em endereços ligados ao acusado.

Até agora, segundo o Ministério Público de Goiás, já foram coletados 78 depoimentos de vítimas de abusos sexuais. Mais de 600 mensagens chegaram à instituição desde o dia 10 deste mês, sendo 260 delas potenciais vítimas do médium. Onze moram fora do Brasil: quatro nos Estados Unidos, três na Austrália, uma na Alemanha, uma na Bélgica, uma na Bolívia e uma na Itália.

As vítimas podem procurar uma unidade do Ministério Público, em qualquer estado, para prestar depoimento.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias