ELEIÇÕES 2018

Eleições Bacabal: Resistência política de João Alberto

Vai ter decisão municipal na Eleição de Bacabal. Além de votar em Fernando Haddad ou Jair Bolsonaro, os eleitores vão escolher também o próximo prefeito

Reprodução

Amanhã acontece o segundo turno das Eleições 2018. É verdade que a questão estadual já foi resolvida em primeiro turno, com a vitória de Flávio Dino (PCdoB) para o governo do estado. Porém, em Bacabal, os eleitores não vão optar somente entre quem vai comandar o Brasil nos próximos quatro anos.

Ocorre também a decisão para saber quem será o comandante do município. É a eleição suplementar. Depois do Tribunal Superior Eleitoral cassar o mandato de Zé Vieira e Florêncio Neto, prefeito e vice-prefeito; respectivamente, o presidente da Câmara Municipal, Edvan Brandão, assumiu a prefeitura de maneira interina.

Veja Também

Disputa acirrada

A eleição em Bacabal atravessa a vontade popular para a disputa simbólica de poder entre o senador João Alberto e o grupo do governador Flávio Dino. Bacabal, ‘território eleitoral’ de Alberto, pode ruir com a vitória de César Brito. Ao lado do filho, João Marcelo e o deputado Roberto Costa, João Alberto quer confirmar, nas urnas, a legitimidade de Edvan Brandão e demonstrar resistência política.

Dino conta com a força do senador eleito, Weverton Rocha, para garantir vitória a César Brito, além, claro, da ajuda dos mandatários cassados, Zé Vieira e Florêncio Neto.

Por fora, corre ainda Giselle Veloso (PR), sob a bênção do deputado Josimar do Maranhãozinho.

Luizinho Padeiro (PSB), apoiado pelo deputado Bira do Pindaré e Professor Maninho do PRB,  partido comandado no Maranhão pelo deputado federal reeleito Cléber Verde.

Em Bacabal, a emoção não vai ficar por conta só de Jair Bolsonaro e Fernando Haddad no segundo turno.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS