Show Junino

Artista Henrique Menezes de volta a São Luís

Músico e interprete, vai se apresentar no Arraial do Juvenal no próximo dia 8.

Henrique Menezes traz na bagagem, para matar um pouco da saudade deixada por 2 anos sem festas juninas, toda sua versatilidade e musicalidade embebida na ancestralidade. (Foto: Reprodução)

O múltiplo artista Henrique Menezes está de volta à Ilha com um show junino no Espaço Mestre Amaral, na Rua do Giz, no próximo dia 8.

Neste que está sendo o maior São João do Maranhão, Henrique Menezes traz na bagagem, para matar um pouco da saudade deixada por 2 anos sem festas juninas, toda sua versatilidade e musicalidade embebida na ancestralidade e em sua irreverência artística.

A noite terá ainda, antes do show de Henrique Menezes, o Tambor Cravo e Rosa União da Baixada, Boi de Leonardo e às 22h, Henrique Menezes.

No espetáculo, canções que vão de Pai Euclides, João do Vale, Humberto de Maracanã, Zezé de Iemanjá e suas próprias composições, acompanhado pelos músicos: Moises Mota, na bateria; Ronald Santos, nos teclados; Leo Almeida, no baixo; Bruno Pereira, na guitarra.

“Além do naipe de excelência dos músicos, esse show traz a presença luxuosa de Zezé de Iemanjá, numa participação pra lá de especial.  Uma noite linda, numa das ruas mais lindas, a Rua do Giz”, disse o artista.

Henrique Menezes, nascido em São Luís do Maranhão, pertence a uma tradicional família de artistas populares. Sua formação começou na CasaFanti-Ashanti, hoje o centro afro religioso mais importante em atividade no Maranhão.

Desde a infância, vivenciou a fundo as tradições maranhenses. Radicado em São Paulo desde 1992, vem pesquisando, resgatando e divulgando os saberes populares, seja como arte-educador, ou atuando como músico, cantor, dançarino, ou compositor.

Além do seu trabalho de musico e intérprete, Henrique participa ativamente de quatro grupos musicais em São Paulo: o Grupo Cupuaçu, importante centro de pesquisa e divulgação da arte popular maranhense em São Paulo.

Realizando desde 1993, na comunidade do Morro do Querosene, as tradicionais festas do Bumba-meu-boi maranhense. Fundador e diretor do Grupo Pé no Terreiro, formado por educadores que se reuniram em torno do estudo e prática de musica e dança popular.

Ponto Br., o grupo propõe o encontro e o diálogo entre a música popular tradicional e a música contemporânea e Henrique Menezes & Banda Bom Q Dói, desde 2007 vem realizando um evento itinerário no qual se encontram diversas manifestações da cultura brasileira.

Como arte-educador Henrique atuou em diversos projetos, oficinas e capacitações.

Além do trabalho continuado, desde 1998 com crianças e adolescentes no projeto de educação não formal no Centro de Convivência Gracinha– Associação pela Família próximo a região de Taboão da Serra em São Paulo, onde é responsável pelo grupo de danças brasileiras, professor de percussão e leitura rítmica.

No CEU Uirapuru atua como educador musical de percusão no projeto Passarin Associação pela Família, desde agosto de 2014. Trabalhando as linguagens dos rítmos percusivos brasileiros (Coco de roda, Maracatu, Bumba meu Boi, Maculelê, Jongo, Xote, Baião, Forró, POP) e afro-brasileiros (Alujá, Ilú, Aguerê, Sató, Opanijé, Bravun, Ijexá, Barra vento) nos períodos manhã e tarde com crianças de 08 a 15 anos de idade.

Os resultados desenvolvidos durante as oficinas são demonstrados em caracter de apresentações no teatro do CEU Uirapuru e em demais instituições.

No Instituto Acaia atua desde maio de 2015 como educador musical de percusão trabalhando as linguagens dos rítmos brasileiros tais como o Coco de roda, Maracatu, Bumba meu Boi, Maculelê, Jongo, Xote, Baião e Forró.

Com três turmas de faixa etaria diferentes: o grupo inicial de 02 a 06 anos e o grupo médio de 07 a 12 anos com as atividades realizadas nas quartas-feiras e o grupo dos adolescentes de 13 a 18 anos de idade nas sextas-feiras.

VER COMENTÁRIOS
Esportes
Entretenimento e Cultura
Concursos e Emprego
Polícia
Mais Notícias