PO­LÍ­TI­CAS SO­BRE DRO­GAS

Uma his­tó­ria de lu­ta con­tra as drogas

Ex-morador de rua, Erisson Lindoso, toma posse como novo presidente do Conselho Estadual de Políticas Sobre Drogas do estado do Maranhão.

Erisson Lindoso, presidente do Conselho Estadual de Políticas Sobre Drogas do Maranhão (CEPD), para o biênio 22/23. (Foto: Reprodução)

Ativista na política sobre drogas, Erisson Lindoso, toma posse como presidente do Conselho Estadual de Políticas Sobre Drogas do Maranhão (CEPD), para o biênio 22/23.

Presidente da Rede Maranhense de Diálogos Sobre Drogas (REMADD), Erisson assume, pela primeira vez, uma presidência que terá um membro da sociedade civil.

A O Imparcial ele contou que sente que cumpre uma missão.

“É o resultado de uma missão que eu assumi pra minha vida, é também uma resposta para a sociedade que em muitos momentos foi preconceituosa. Mas hoje, parte dela se mobiliza para cuidar do outro, é humana, é amorosa, ela procura cuidar das outas pessoas. E a essa parcela da sociedade eu dedico esta missão, essa função agora. E a outra parcela, eu também me coloco à disposição para que ela venha enxergar, com olhos humanos essa problemática social que esta incrustada em toda classe social”, disse Erisson.

Pode parecer que essa fala soe como um desabafo? Talvez. Erisson, 45 anos, está há 10 anos livre das drogas e já foi morador de rua por 2 anos. 

Estudado, bem relacionado, bons empregos, uma família, mas tudo isso, por um tempo, ficou de lado por causa da dependência química que começou, pasmem, quando ele tinha por volta de 8 anos de idade.

“Eu tive a primeira experiência com drogas criança em festinhas de família fazendo experimentação com cerveja. Ficavam restos de bebidas nos copos e a gente, criança, ia juntando e bebendo. Essa experimentação é real, inclusive fatal, porque um cérebro mal formado recebendo doses de bebida alcoólica, claro que não vai deixar o organismo ileso. Aos 16 anos eu tive a primeira experiência com maconha, em 1998 (com 21 anos), experiência com a merla a partir daí, em 2005 (com 28 anos) eu tive com o crack, quando ele chegou em São Luís. São dados importantes, porque foi o período de entrada dessas substâncias aqui na cidade”, contou.

Conselho Estadual de Políticas Sobre Drogas do Maranhão (Foto: Reprodução)

O Conselho Estadual de Políticas Sobre Drogas do Maranhão é composto por:

SOCIEDADE CIVIL

Representantes de Igrejas, Pastorais Sociais e demais entidades religiosas:

  • Titular: EDIVALDO SOUSA FERREIRA (Igreja Evangélica Assembleia de Deus de São Luís);
  • Suplente: MARCOS ADRIANO SOARES DE ASSIS (Igreja Batista Nacional Videira Verdadeira).

Representantes de instituições que atuem com criança, adolescente e juventude:

  • Titular: DORIAN ISABEL SANTOS AZEVEDO (Desafio Jovem do Maranhão – DJOMA);
  • Suplente: MARCOS ROBERTO CORRÊA PINTO (Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais Norte Brasileira – ADRA MARANHÃO).

Representantes de Comunidades Terapêuticas e Grupos de Mútua Ajuda:

  • Titular: ROSANÍRIA CUTRIM CAMPOS (Comunidade Terapêutica do Maranhão – CTM:
  • Suplente: FERNANDO ANDRÉ LIMA DE VASCONCELOS (Associação Filantrópica Casa do Oleiro).

Representantes de Instituições que atuem com populações específicas: pessoas em situação de rua, indígenas, quilombolas, ciganos, ribeirinhos e LGBTQIA+:

  • Titular: ARIVALDO LEITE DE SOUZA JÚNIOR (Instituto de Gestão de Projetos Sociais – IGPS);
  • Suplente: VALDIR DO CARMO FONSECA JUNIOR (Projeto Transformar).

Representantes de conselhos profissionais; sindicatos e associações:

  • Titular: ERISSON ALAN SOUSA LINDOSO (Rede Maranhense de Diálogos Sobre Drogas – REMADD);
  • Suplente: JOSÉ LIMA FILHO (Instituto Ebenézer).

PODER PÚBLICO

Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social

  • Titular: ÉRICA FERNANDA ALVES DE ARAÚJO;
  • Suplente: MARGARETE VIEIRA CUTRIM.

Secretaria de Estado da Educação

  • Titular: JOSÉ DE ARIMATÉA VIEIRA DA CONCEIÇÃO;
  • Suplente: BRUNA RAFAELA SOARES AGUIAR.

Secretaria de Estado da Segurança Pública

  • Titular: HILTON BALDEZ SANTOS;
  • Suplente: WALDEY LEMOS RIBEIRO DA SILVA.

Secretaria de Estado Extraordinária da Juventude:

  • Titular: THIAGO FERNANDES PENNA;
  • Suplente: EDENILSON RABELO BOAIS.

Secretaria de Estado da Saúde

  • Titular: MÁRCIO HENRIQUE SILVA MENEZES;
  • Suplente: JOSÉ RIBAMAR BARROS PATRÍCIO.

Recaída, furto, morar na rua e a redenção

Fo­ram anos con­tur­ba­dos, vá­ri­os tra­ta­men­tos, mas a pi­or re­caí­da foi em 2012. Ele con­ta que tra­ba­lha­va co­mo mes­tre de ce­rimô­nia no go­ver­no do es­ta­do, quan­do pas­sou a mo­rar na rua. Ele ha­via fur­ta­do uma bi­ci­cle­ta no bair­ro em que mo­ra­va e o do­no foi à ca­sa de­le co­brar.

A mãe, muito envergonhada, pagou, mas decretou que dali em diante ele não entraria mais na casa dela.

“A minha recaída em drogas foi tão pesada que eu larguei faculdade, trabalho, larguei tudo. Fui pra rua. Mas foi na própria rua, que minha mãe, dois anos depois, foi me buscar e me levar pra uma comunidade no Maracanã (Crer), onde eu fui tratado. Isso foi muito importante, pode parecer um ato extremo, aparentemente, mas foi uma atitude muito positiva . Eu já era um homem adulto, tomando atitudes em função das drogas, com 35 anos, tinha trabalhado em vários locais, sempre defendendo algum tipo de causa na política, membro da igreja… a minha história não deixa de ser um exemplo pra qualquer pessoa, que não basta apenas ouvir palestras, participar de atividades, ser um bom aluno. Você tem que obedecer a princípios”, contou.

Após o tratamento, Erisson foi enviado pela Igreja Comunidade Viva para fundar e gerir uma comunidade terapêutica em Goianira de Goiás. Após 1 ano, em 2015, ele retornou, retomou as atividades na REMMAD e iniciou um processo de inserção nas políticas públicas sobre drogas.

“É uma classe que precisa de atenção. Que essa minha história de superação sirva de motivação para as famílias para que eles fiquem livres de preconceito. Eu tenho amor pela causa, e a vontade que ela seja defendida devidamente, e defendida pelos entes públicos  também”, finalizou.

O Conselho

Conhecido como defensor das políticas sobre drogas e pioneiro na defesa dos direitos dos usuários dos serviços de atendimento à pessoas vítimas de álcool e outras drogas, Erisson considera que junto aos demais membros do Conselho, desempenhará o papel de e defender, cumprir e fazer cumprir as Políticas Públicas estabelecidas na legislação vigente.

Criado em 2016, o CEPD-MA funciona de acordo com a Lei nº10.492, e tem como missão apoiar os municípios na criação dos Conselhos Municipais sobre drogas e fiscalizar as ações do Plano Estadual sobre Drogas, lançado ano passado pelo Governo do Estado e que diz respeito a um conjunto de ações a serem realizadas pelas Secretarias de Estado da Saúde (SES), do Desenvolvimento Social (Sedes), da Educação (Seduc), da Segurança Pública (SSP) e Extraordinária da Juventude (Seejuv).

VER COMENTÁRIOS
Esportes
Entretenimento e Cultura
Concursos e Emprego
Polícia
Mais Notícias