Impasse

Semana decisiva para a greve dos Rodoviários

Se confirmada a greve geral dos rodoviários, será a segunda em 2 meses.

Trabalhadores do transporte anunciam paralisação geral no próximo dia 29. (Foto: Reprodução)

No próximo dia 29 de março, próxima terça-feira, a cidade de São Luís pode ficar sem 100% da frota de ônibus. Desde janeiro, o Sindicato dos Rodoviários do Maranhão tenta negociar as cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho, com vigência para 2022, e a partir do dia 10 de fevereiro começou o impasse entre trabalhadores do setor rodoviários e empresários do transporte.

Enquanto os primeiros querem que o acordo coletivo seja cumprido, os empresários fizeram proposta de reajuste salarial de 5%, mas mediante a demissão de todos os cobradores do sistema.

No meio disso tudo, os 800 mil usuários do transporte coletivo da Região Metropolitana de São Luís, que, desde o dia 16 de fevereiro contam com apenas 60% da frota circulante. No último dia 22, após mais uma assembleia da categoria, os rodoviários resolveram deflagrar greve geral no próximo dia 29, se as reivindicações não forem atendidas até lá.

A última audiência de conciliação ocorreu no último dia 25 de fevereiro, presidida pelo Ministério Público do Trabalho no Maranhão (MPT-MA). Antes, houve ainda três mediações no MPT-MA, nos dias 10, 22 e 24 de fevereiro.

Nos dias 11 e 18 de março foram realizadas duas audiências de conciliação sobre dissídio coletivo no Tribunal Regional do Trabalho. Novamente, não houve acordo entre as partes.

Entre as reivindicações apresentadas no dissídio, pelo Sindicato dos Rodoviários, estão a implantação imediata do índice de 15% de reajuste salarial, ticket alimentação no valor de R$ 800,00 e manutenção do plano de saúde pelas empresas componentes da categoria patronal do dissídio.

Eles também querem o pagamento das diferenças resultantes desse percentual nos salários e no ticket alimentação dos membros da categoria profissional, retroativamente a janeiro de 2020 (data-base).

Na audiência realizada no dia 18, o desembargador Francisco José Carvalho Neto, Presidente do TRT-MA, concedeu ao sindicato patronal (SET), ao município de São Luís e à MOB o prazo de 10 dias (que se encerra no dia 28 de março) para apresentação de contestação.

Após essa data, todos serão acionados para a apresentação de razões finais no prazo de cinco dias. Em seguida, após manifestação do Ministério Público do Trabalho, o processo será distribuído por sorteio para um desembargador que atuará como relator para então seguir ao julgamento pelo colegiado do Tribunal Pleno.

O Sindicato dos Rodoviários disse que a entidade cumprirá os prazos estabelecidos pela justiça, comunicando os órgãos envolvidos sobre a paralisação.

“Chegamos ao nosso limite. Tentamos de todas as formas, garantir uma negociação, que atenda as reivindicações dos trabalhadores. Não podemos ficar assistindo a intransigência dos patrões, sem interesse algum em resolver esse impasse. Se não tivermos a garantia dos nossos direitos, a partir da próxima terça (29), os ônibus de São Luís vão parar totalmente”, afirmou Marcelo Brito, Presidente do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão.

Próxima »1 / 2
VER COMENTÁRIOS
Esportes
Entretenimento e Cultura
Concursos e Emprego
Polícia
Mais Notícias