De forma híbrida

São Luís sediará Encontro Brasileiro das Cidades Históricas Turísticas e Patrimônio Mundial

Evento acontecerá nos dias 9, 10 e 11 de dezembro.

São Luís sediará o 8º Encontro Brasileiro das Cidades Históricas Turísticas e Patrimônio Mundial em dezembro. (Foto: Divulgação/Prefeitura de São Luís)

São Luís do Maranhão foi escolhida para sediar o 8º Encontro Brasileiro das Cidades Históricas Turísticas e Patrimônio Mundial nos dias 9, 10 e 11 de dezembro. O evento acontecerá de forma híbrida, contará com a participação de prefeitos e secretários das cidades brasileiras reconhecidas como Patrimônio Cultural e Natural e é uma promoção da Organização das Cidades Brasileiras Patrimônio Mundial (OCBPM), com apoio da Confederação Nacional dos Municípios (CNM). 

O anúncio da escolha da capital maranhense para a realização do evento neste ano – essencial para a construção de propostas para o fortalecimento da capacidade local, do poder de cooperação e do grande potencial para a geração de riquezas, trabalho e renda – foi feito pelo presidente da OCBPM, Mário Ribas, ao prefeito de São Luís, Eduardo Braide, durante encontro na tarde desta terça-feira (19), no Palácio de La Ravardière, sede do Executivo Municipal. 

“Durante o encontro teremos a oportunidade de trocar experiência com outras cidades e de mostrar ao Brasil e ao mundo as belezas que as cidades brasileiras patrimônio mundial têm para apresentar a todos. Esse encontro também será fundamental para discutirmos a questão da economia criativa, o turismo e o fomento à cultura, principalmente para que essas cidades possam ser boas para quem mora nelas, porque só assim elas serão boas para os visitantes”, disse o prefeito Eduardo Braide. 

Prefeitos, secretários de turismo e cultura e demais agentes municipais também terão a oportunidade de discutir políticas públicas, visando o desenvolvimento humano e sustentável, no 8º Encontro Brasileiro das Cidades Históricas Turísticas e Patrimônio Mundial, como pontuou o presidente da OCBPM. 

“O encontro será, mais uma vez, extremamente importante para a definição de ações de políticas públicas permanentes e de priorização envolvendo o patrimônio mundial do Brasil, que é reconhecido pela UNESCO, mas que não pode se contentar apenas com o título. Precisamos fazer desse título algo palpável, realidade, e que beneficie, primeiro, a população que vive na comunidade e, depois, certamente, os visitantes”, destacou Mário Ribas. 

Durante o evento de três dias, também estarão presentes representantes de importantes organismos nacionais e internacionais para a manutenção e preservação do Patrimônio Mundial Cultural e Natural do Brasil, como a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Ministério do Turismo, Secretaria Especial da Cultura, Tribunal de Contas da União (TCU), entre outros. 

“[É importante reunir todos esses organismos para] discutir a questão da governança, de projetos e de boas práticas sobre o acórdão do TCU [n° 311/2017], que fala justamente da responsabilidade do governo brasileiro nas instâncias federal, estadual e municipal com a proteção e preservação do patrimônio mundial”, disse a presidente do Fundação Municipal do Patrimônio Histórico (FUMPH), Kátia Bogéa, que esteve presente durante a reunião. 

Além da presidente da FUMPH, também participaram do encontro com o prefeito Eduardo Braide, a responsável técnica em Turismo da CNM, Marta Feitosa; o superintendente do Instituto Nacional do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), Maurício Itapary; o secretário municipal de Turismo, Saulo Santos; o vice-presidente e gerente de organização do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae/MA), Celso Gonçalo e Mauro Formiga, respectivamente.

VER COMENTÁRIOS
Esportes
Entretenimento e Cultura
Concursos e Emprego
Polícia
Mais Notícias