CANDOMBLÉ

3 “trabalhos” apontados a Bita que o fizeram um dos maiores babalorixás do Brasil

Conheça um pouco mais das estórias que tornaram o pai de santo famoso.

Reprodução

Com mais de dez décadas, Bita do Barão carrega o conhecimento dos seus ancestrais e vem recebendo, ano após anos, visitas de todo o mundo. Conheça agora algumas das estórias contadas por aí que figuram como responsabilidade do pai de santo.

Bita e os Sarneys

Bita, José Sarney e a filha do pai de santo, Janaína.

Os políticos já são “clientes” frequentes para o pai de santo. De acordo com a Revista Veja, José Sarney e sua filha, Roseana, frequentam o terreiro do mestre há mais de 40 anos. Não apenas para as questões eleitorais Bita é consultado, ainda segundo a Veja, Roseana se consultou com ele para se curar de 3 tipos de câncer. E, em declaração, o pai de Santo afirma:

Sou conhecido por curar tudo quanto é tipo de doença, inclusive já levantei defunto de dentro do caixão

Bita e Michel Temer

O jornalista carioca, Léo Dias, do Jornal O dia, declarou em 2016 que o ex-presidente Michel Temer esteve no Maranhão para uma “consulta” que aconteceu algumas semanas antes da votação do impeachment de Dilma Rousseff. Segundo Léo Dias, a consulta teria sido com Bita do Barão e, embora a Tenda do mestre não tenha confirmado a ilustre visita, toda a cidade de Codó estava comentando na época.

Bita e a morte de Tancredo Neves

A morte de Tancredo Neves entrou para o folclore pessoal quando o cliente pessoal de Bita, José Sarney, ainda era vice presidente, em meados de 1985. O que a lenda conta é que os tambores na cidade soaram dia e noite durante 7 dias até a morte de Tancredo, quando Sarney assumiu a presidência do Brasil. No livro “Gonzo!”, do jornalista Arthur Veríssimo, Bita foi questionado se tinha feito algum trabalho e declarou:


Não, senhor. E, se tivesse feito, não falaria. Não tenho nada a ver com isso e não quero nem falar. Que Deus tenha o Tancredo lá junto dele, pronto (…)


Não gosto de fazer vingança, mas sou procurado. Para ganhar dinheiro, faço. De morte, não seu te falar. Todo mundo sabe que macumbeiro bom faz essas coisas e que sou meio quente na macumba. Para crescer o nome, tem que fazer alguma para provar. Mas não boto meu nome lá na história, nunca tive ódio de ninguém. Quando faço, é o cliente que está fazendo, estou apenas dando o recado.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias