VIOLÊNCIA

Jovem maranhense é atraída pela Internet e sofre abusos no RJ

Segundo o delegado Vilson de Alemida Silva, da 71ª DP (Itaboraí), a mulher se recusou a fazer sexo com Mauro e passou a ser violentada.

Reprodução

Tudo começou com uma conversa na Internet. A maranhense, não identificada, é estudante de 23 anos e mora no Maranhão. Ela foi mantida em cárcere privado e violentada por seis dias em um conjunto de favelas no Rio de Janeiro.

No último dia 14 de maio, a maranhense pegou um voo na capital maranhense com destino ao Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Rio de Janeiro. A partir daí o pesadelo, da mãe de uma criança de um pouco mais de um ano, estaria apenas começando.

Foi atraída

O homem de meia idade conheceu a vitima pela Internet e pagou para a vítima a sua ida ao Rio de Janeiro. Mauro de Oliveira Siqueira, de 50 anos, buscou a maranhense no aeroporto e a levou para uma casa de uma das comunidades da Reta Velha, em Itaboraí, na Região Metropolitana do Rio.

Segundo o delegado Vilson de Alemida Silva, da 71ª DP (Itaboraí), a mulher se recusou a fazer sexo com Mauro e passou a ser violentada.

— Eles apenas conversaram por um site de relacionamento. O Mauro pagou as despesas com passagens para conhecê-la pessoalmente. Ela foi levada para a Reta Velha e como não quis se relacionar com ele, passou a ser estuprada. O Mauro também a impedia de sair da casa e a mantinha em cárcere privado — disse o delegado.

No último sábado, a maranhense aproveitou um momento que Mauro estava dormindo e conseguiu ter acesso a um celular. Com isso, ela fez contato com familiares que estavam em São Paulo e o familiar acionou uma prima da vítima que mora na Zona Norte do Rio.

Se entregou

A prima da vítima, que mora no Rio de Janeiro, foi até 71ª DP, no fim da noite de sábado, e relatou o que havia acontecido com a jovem. Policiais começaram investigação para descobrir o endereço exato. Traficantes, sabendo que a polícia iria invadir o conjunto de favelas, obrigaram Mauro levar a vítima até a delegacia. Chegando no DP, Mauro foi preso.

A vítima confirmou que vinha sendo violentada e impedida de deixar o local. Segundo o delegado, Mauro foi autuado em flagrante por crimes de estupro e cárcere privado.

De acordo com a polícia, em caso de condenação,  Mauro de Oliveira Siqueira pode pegar uma pena de até 13 anos de prisão. A maranhense já está na casa de um parente no Rio e deve voltar em breve para o Maranhão.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS