PELA LENTE DA CÂMERA 

Fotógrafo expõe belezas da costa amazônica na ALEMA

Pouco conhecida da maioria dos maranhenses e até confundida com outra região do estado, a Ilha dos Lençóis, sua biodiversidade natural e seus habitantes estarão em exposição entre os dias 7 e 30 deste mês

Foto: Divulgação/ Marinelton Cruz

Pouco conhecida da maioria dos maranhenses e até confundida com outra região do estado, a Ilha dos Lençóis, sua biodiversidade natural e seus habitantes estarão em exposição entre os dias 7 e 30 deste mês no hall principal da Assembleia Legislativa. Nesse período, o fotógrafo Marinelton Cruz apresentará seu trabalho Costa Amazônica Maranhense, com mais de uma dezena de painéis.

Localizada na divisa do Maranhão com o Pará, esta região compreende o Golfão Maranhense (Baía do Tubarão, Região do Munim, a Ilha de São Luís, Alcântara e a Baía de Cumã) e o Litoral Ocidental, a oeste de São Luís. Dentro dela está a extensa Área de Proteção Ambiental (APA) das Reentrâncias Maranhenses, que abriga o Polo Ecoturístico da Floresta dos Guarás e o Polo Amazônia Maranhense.

Foto: Divulgação/ Marinelton Cruz

Essa parte do litoral abriga um sítio Ramsar (Convenção sobre as Zonas Úmidas de Importância Internacional), a Rede Hemisférica de Reservas para Aves Limnícolas, o Farol de São João (o segundo em importância para a navegação brasileira), a lendária Ilha dos Lençóis (morada definitiva da encantaria sebastianista no Maranhão) e o parcel de Manoel Luís, que em 1991 foi transformado no primeiro parque estadual marinho do Brasil e é o maior banco de corais da América do Sul. Comporta ainda a reserva extrativista marinha do município de Cururupu.

Segundo Marinelton Cruz, esta importante região encontra-se com pouca visibilidade. “Suas particularidades naturais e humanas precisam de destaques para favorecer ações de desenvolvimento socioculturais sustentáveis”, avalia o fotógrafo. No ano passado, a exposição Costa Amazônica Maranhense foi apresentada no Convento das Mercês e as fotografias foram doadas para a Fundação da Memória Republicana (FMR). Essa será a primeira vez que o conjunto da obra será levado para local externo à Fundação, o que deverá ocorrer outras vezes.

Foto: Divulgação/ Marinelton Cruz

VER COMENTÁRIOS
MOSTRAR MAIS