FIQUE DE OLHO

Produtos devem ter alerta para alto teor de açúcar na embalagem

O aviso deve ser publicado na frente da embalagem para complementar tabela nutricional para melhorar a visualização do consumidor. Anvisa deve publicar norma até o final do ano

Produtos devem ter alerta para altos índices de açúcar e outros componentes nocivos à saúde na frente das embalagens. Foto: Divulgação

Uma nova medida proposta pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) que pretende criar alertas para informar sobre o alto conteúdo de nutrientes críticos à saúde, como o açúcar e outros componentes, foi anunciada nesta terça-feira, 22,  pelo ministro da Saúde, Gilberto Occhi, na Assembleia Mundial da Saúde, promovida pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O governo afirmou que o Brasil terá regras mais duras sobre a rotulagem de produtos que contenham alto valor de açúcar.

O governo brasileiro apresentou proposta de nova rotulagem de alimentos e também um acordo com a indústria para a redução de açúcar em alimentos ultra processados. As medidas visam facilitar a compreensão do consumidor e trazer orientações claras para escolhas mais saudáveis.

“Estamos engajados na adoção de políticas concretas e efetivas para conter o avanço da obesidade. O Brasil adotará medidas para alertar sobre o excesso de açúcar no rótulo de alimentos processados e, assim, os consumidores poderão fazer escolhas mais saudáveis. Também estamos estruturando medidas para reduzir o açúcar nesses alimentos”, disse Occhi.

Modelo de alerta que deve estampar a frente das embalagens dos produtos. Foto: Anvisa

Dados da pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) apontam que a excesso de peso atinge 54% da população nas capitais do país. Os números mostram ainda que, em 2017, 18,9% dos brasileiros estavam obesos. O consumo desregrado de alimentados industrializados pode favorecer o aumento de peso e levar à obesidade.

O primeiro passo para essa nova política foi dado pela Anvisa, que aprovou versão inicial do documento na segunda-feira,21. De acordo com a análise da Anvisa, mudanças serão necessárias porque o modelo atual dificulta o uso da rotulagem nutricional pelos consumidores por problemas de identificação visual, pelo baixo nível de educação e conhecimento nutricional.

A proposta da entidade é que o rótulo seja fixado na parte frontal do produto, com advertências em relação ao excesso de nutrientes que podem trazer malefícios a saúde, como açúcares, gorduras e sódio. Também há confusão sobre a qualidade dos ingredientes e problemas de veracidade das informações, além do uso de termos técnicos e matemáticos, entre diversos outros motivos.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS