IMPERATRIZ

Câmara de Imperatriz realiza audiência pública sobre Residencial Canto da Serra

Com obras abandonadas desde 2015, o residencial é alvo de reclamação de moradores de Imperatriz. Quarta, 7, a Câmara Municipal realizou audiência pública sobre o problema

Foto: Reprodução

Com obras paralisadas a mais de 6 anos, o Residencial Recanto da Serra revolta moradores de Imperatriz. São mais de 2 mil casas em fase de acabamento devido abandono das obras por 3 empresas que ganharam a licitação de construção. Com constantes reclamações, a Câmara municipal de Imperatriz realizou nesta quarta, 7, Audiência Pública sobre o caso.

Durante a audiência, vereadores deixaram claro a insatisfação devido a Caixa Econômica Federal não ter enviado representante para esclarecer dúvidas sobre o caso. O presidente da Comissão de Obras lamentou a ausência do órgão e afirmou que buscará meio legal para convocar representante da instituição para prestar esclarecimentos.

“Essas construtoras foram contratadas em 2012 para concluírem a obra em 15 meses, depois pediram renovação do contrato ampliando esse prazo, primeiro para 26 meses e depois para 36 meses e no fim, 48 meses. O certo é que a Caixa Econômica fez o pagamento das medições, nós já temos mais de R$ 75 milhões pagos para essas empresas que não concluíram a obra”, denunciou o vereador

MPF irá investigar o caso

Durante evento o procurador José do Carmo Pinto anunciou abertura de investigações sobre a paralisação. Segundo o procurador, o MPF recebeu as denúncias 9 de fevereiro, posteriormente enviou o requerimento para a Procuradoria da República em Imperatriz, que cobrou explicações sobre o caso a Caixa Econômica Federal.

“Como o procedimento ainda está muito começo, nós ainda não temos como afirmar o que se concluirá ao final dessa investigação. Portanto, nesse momento é muito apressado dizer o que acontecerá no futuro, se existirá uma investigação de cunho criminal também ou se ela se restringirá ao âmbito cível. Então, o melhor é aguardar a resposta da Caixa para se saber efetivamente o que vem acontecendo ali no Residencial Canto da Serra”, declarou o procurador

Em nota a Caixa Econômica Federal esclareceu que enviou comunicado por ofício informando sobre a impossibilidade de comparecer à sessão. Segundo o órgão federal, já está em andamento o processo de contratação para continuidade da construção do residencial. “As novas construtoras tem prazo para apresentação das propostas até dia 16/03/2018. Após análise pela CAIXA, a contratação acontecerá ainda no 1º semestre de 2018”, afirmou o órgão.  

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS