NEGÓCIOS

De Hotel a Hospital: conheça a empresa que quer comprar o UDI

O UDI Hospital está em fase de negociação e deve ter venda efetivada à Rede D’Or, maior operadora independente de hospitais do Brasil que, no passado, foi hotel de luxo

UDI Hospital, nova aspiração da Rede D'Or no Maranhão (Foto: Reprodução)

Um dos maiores grupos do ramo hospitalar do Maranhão, o UDI Hospital, está em fase de negociação e deve ter venda efetivada, este mês, à Rede D’Or São Luiz, maior operadora independente de hospitais do Brasil que, no passado, já foi hotel de luxo

A motivação

Em 1995, no Rio de Janeiro, Daniel é sequestrado e morto. Jacob Barata, empresário carioca, realiza, em memória, o desejo do filho: transforma o Hotel Copa D’Or, de quatro estrelas, em hospital privado.

Do começo

Gaspar D’Orey, proprietário do Hotel Copa D’Or, em Copacabana, Rio de Janeiro, resolveu regressar ao seu país de origem. Antes de embarcar para Portugal, ofereceu ao sócio, Jacob Barata, o Copa D’Or como quitação de dívida em outros negócios. Mas, somente o hotel, não liquidaria o valor total do débito. Foi aí que entrou na jogada o cardiologista Jorge Moll Filho, a quem o português teria emprestado grande quantia para ajudar na expansão de suas clínicas de diagnóstico, a Cardiolab.

Enquanto efetuava pagamento em nome de Gaspar D’Orey, Jorge trocava ideias com Daniel, filho de Jacob e responsável por receber o dinheiro em mãos. Os dois planejavam, contra a vontade de Barata, transformar o hotel em hospital, com objetivo de atender a classe alta do Rio de Janeiro. Na época, existiam poucos hospitais privados na cidade. Em busca de atendimento de qualidade, cariocas se deslocavam para o Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

Após morte de Daniel, Moll e Barata deram continuidade ao projeto e transformaram o Copa D’Or em hospital que tinha a hotelaria como raiz, equipamentos modernos e serviços de primeira. Seis anos após inauguração do primeiro hospital da Rede, em 2001, Jacob deixou a sociedade para se tornar um dos maiores empresários de transportes urbanos no Brasil e Portugal.

Em 2010, a Rede D’Or já era o maior grupo de hospitais independentes do país, com 13 unidades e expressiva participação do BTG Pactual, banco de investimento brasileiro, com fundo criado no valor de 600 milhões de reais na rede. Participação que agora vale mais de 3 bilhões de reais.

Hoje, com sede localizada no Rio, a Rede possui 35 hospitais distribuídos nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Pernambuco e no Distrito Federal. Também possui mais 35 clínicas oncológicas presentes nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Ceará, Bahia, Pernambuco, Tocantins e no Distrito Federal. O grupo ainda tem sob sua gestão o Hospital da Criança e o Hospital Israelita, ambos na capital carioca.

Expansão no Nordeste

A expansão da rede para o Nordeste iniciou em 2007 em Pernambuco, quando o grupo assumiu os hospitais Prontolinda e Esperança. A Rede D’Or também passou a administrar o Hospital São Marcos, em Recife. No estado, as unidades passaram a ser denominadas Hospital Esperança Olinda, Hospital Esperança Recife, Hospital São Marcos e Memorial São José. É justamente a razão social Hospital Esperança S.A. que responde juridicamente pela negociação de compra do UDI Hospital no Maranhão.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS