RAP NACIONAL

Racionais MC’s faz show em São Luís nesta sexta

Com mensagens positivas e de consciência social, o grupo de rap paulistano Racionais MC’s volta à Ilha com a turnê nacional Cores e Valores com show considerado histórico

Reprodução

Fundado em 1988, e formado pelos MCs Mano Brown, Edi Rock e Ice Blue e o dj KL Jay, o Racionais MC’s, que é considerado o maior grupo de rap do Brasil e está entre as bandas mais influentes do país, volta à capital maranhense depois de sete anos. Na bagagem, o Racionais MC’s traz a turnê Cores e Valores, com um set recheado de clássicos e efeitos visuais que prometem emocionar os fãs da maior banda de rap da América Latina.

Os portões para o show abrem às 20h e depois a festa para “esquentar” o público começa com a Batalha na Praça, edição especial. Depois tem DJ Adaga, DJ Juarez, Casa Loka, Preto Nando e banda e, fechando a noite, Racionais MC’s. A classificação indicativa do show é para maiores de 18 anos.

O Racionais MC’s tornou-se conhecido por conta de suas canções que demonstram a preocupação em denunciar a destruição da vida de jovens negros e pobres das periferias brasileiras e o resultado do racismo e do preconceito, ao sustentarem a miséria diretamente ligada com a violência e o crime. Temas como a brutalidade da polícia, do crime organizado e do estado, bem como o preconceito, as drogas e a exclusão social, são recorrentes nas letras do conjunto.

O nome do grupo foi inspirado no disco Racional de Tim Maia. A primeira gravação do grupo foi feita em 1988, quando o selo Zimbabwe Records lançou a coletânea Consciência Black, Vol. I. Neste LP, apareceram os dois primeiros sucessos do grupo: Pânico na Zona Sul e Tempos Difíceis. Ambas as canções apareceriam dois anos depois em Holocausto Urbano, primeiro disco oficial do grupo e cujas letras denunciam o racismo e a miséria na periferia de São Paulo, marcada pela violência e pelo crime.

No mês passado, o grupo lançou o single Marighella – Mil faces de um homem leal, de autoria de Mano Brown, que veio preencher a lacuna na discografia oficial do grupo paulistano de rap. Composta para a trilha sonora de Marighella (2012), documentário sobre Carlos Marighella (1911-1969) orquestrado por Isa Grinspum Ferraz (sobrinha do guerrilheiro político baiano), a música gerou elogiado e o premiado clipe, posto em rotação na web há cinco anos, mas nunca tinha sido lançada oficialmente em disco.

Embora inicialmente conhecido apenas na capital paulista, o grupo conseguiu alcançar sucesso significativo a partir dos álbuns Raio X Brasil (1993), Sobrevivendo no Inferno (1997) e Nada como um Dia após o Outro Dia (2002). Prestes a completar 30 anos de carreira, o grupo está divulgando o sexto álbum de estúdio, Cores & Valores, o primeiro com músicas inéditas em 12 anos.

O público que for ao Ceprama hoje curtir o show da banda terá três opções de ingressos, pista comum no valor de R$ 50, pista Premium por R$ 120 e camarote open bar por R$ 150.

A produção está orientando o público a comprar os ingressos nos pontos de venda oficiais para evitar transtornos, informando ainda que os ingressos são chipados e à prova de falsificação, e na entrada, passarão por leitura digital.

Em entrevista a O Imparcial, a produção informou também que está tomando todos os cuidados necessários para garantir a comodidade e segurança do público, medidas como solicitação de policiamento da área externa, segurança interna com detector de metais, plano de combate a incêndios e brigadistas, além de uma ambulância com profissionais especializados em pronto atendimento.

MOSTRAR MAIS