VENCEU O CÂNCER

“Não vivi a doença, eu sabia que tinha vida”, diz jovem que venceu o câncer

Conheça a história de Mariana Feitosa. Ela superou o medo, lutou contra o câncer e aconselha seus seguidores a nunca desistirem

União, solidariedade, compaixão e gratidão são sentimentos despertados no Natal. Entretanto, existem pessoas que, por meio de seus atos, são capazes de transformar vidas e fazer com que as emoções vivenciadas nesta data sejam sentidas ao longo do ano. Hoje, a Revista TUDO e O Imparcial revelam a história de esperança, luta e superação de Mariana Feitosa que, mesmo diante das adversidades da vida, tornou-se propagadora do verdadeiro amor.

Em 16 de dezembro de 2015, dia do seu aniversário de 26 anos, ela fez sua primeira cirurgia, que a princípio seria para a retirada de um mioma uterino. Um mês depois, com o resultado da biópsia, descobriu que se tratava de um tumor maligno, câncer de ovário em metástase no fígado. “Fui pega totalmente de surpresa e estava só, ao receber a notícia, e meu primeiro pensamento foi na minha família, especialmente minha mãe. Ao chegar em casa, ao saberem, todos ficaram um pouco abalados, mas, quando me viam firme e bem, eles começaram a reagir melhor”, conta Mariana.

A força da família

Sabemos que a presença da família nessa fase é extremamente importante até para não desistir, ou até mesmo entrar em depressão. Mariana conseguiu a ajuda que precisava. “A família foi essencial em todo esse processo. Deus foi minha base, e a família foi instrumento dele aqui na terra. O câncer, após o diagnóstico, ele destrói mais o emocional do que o físico, e eu olhava aquilo na minha casa, na minha família e em meio aos amigos mais próximos, e não aceitava. Eu não aceitava que as pessoas vivessem ‘a doença’, a tratar aquilo como uma sentença de morte, e comecei a conversar com eles e mostrar que eu, a ‘vítima’ nessa história, não desanimei e não admitia essa atitude deles. Então, tudo foi uma troca: eles me davam apoio, força e carinho, e eu os animava”, relatou muito motivada.

O medo de não sair como planejado

Medo é uma palavra muito forte, mas a gente sente, não tem como negar, e enfrentá-lo é um dos maiores desafios. “Acho que duas coisas nunca passaram em minha cabeça: MEDO e DÚVIDA. E essas duas coisas fazem parte do meu testemunho de vitória na luta contra o câncer. Um pouco antes de descobrir, recebi um livro, que não cheguei nem a ler todo, mas creio que através daquelas palavras Deus me preparava para o propósito que ia viver. E esse trecho falava por que mais pessoas não eram curadas, nos mostrava que se fala muito de fé, em uma geração que se sente muito mais medo e dúvida, o que são coisas totalmente contrárias à FÉ. E aquilo me marcou e na mesma hora lembrei, comecei a educar meu coração e em minha mente, para não se transformar em um habitat de medo e dúvidas sobre minha cura e meu tratamento”, acrescenta Mariana.

O tratamento

Segundo Mariana, foram 11 meses de tratamento, duas cirurgias e um protocolo com 18 sessões de quimioterapia. “Foram três as fases mais difíceis. A primeira foi quando tive que tomar a decisão de retirar útero e ovário, implicando na minha esterilidade. Outra foi a recuperação da segunda cirurgia, uma laparotomia exploratória, em que foram retirados alguns órgãos, bem como um pedacinho do fígado. E o terceiro momento foi a semana após a primeira quimioterapia. Tive vários efeitos colaterais, que apesar de ter sido desesperador, descobri que não passou de crises de ansiedade. Apesar das pessoas acharem que a pior parte era a perda do cabelo, enfrentei isso com muito bom humor, e ainda fiz um churrasco no dia em que raspei. No terceiro dia após a quimioterapia, comecei a sentir a “ressaca” pós-químio, falta de ar, dor no corpo, indisposição, dor no ouvido, enjoo, paladar alterado, entre outros. Estava tão ansiosa que os efeitos colaterais se multiplicaram, fui parar três vezes em uma única semana na emergência do hospital. Mas logo entendi que naquele momento estava fazendo o que temia: vivendo a doença. Depois disso, comecei a enfrentar o tratamento com mais leveza e vi que eu tinha que mudar minha postura, até porque ainda tinham quatro meses de tratamento pela frente, e a minha imunidade dependia do meu emocional, e a quimioterapia dependia da minha imunidade”, ressalta.

A motivação nas redes sociais

Hoje com mais de 80 mil seguidores no Instagram, Mari usa sua rede social dando mais força às pessoas que estão passando por situações parecidas e sempre com o pensamento de que não podem desistir. “Resolvi usar a rede social para expor um pouco do que estava passando, logo após raspar a cabeça. As pessoas tinham curiosidade ao ver minha foto carequinha, iam olhar, e começavam a me acompanhar. Tive a ideia de mostrar de uma maneira mais otimista, e sempre falando do responsável por todo o meu ânimo: DEUS. O verdadeiro protagonista dessa história. As pessoas falavam, seguiam no Instagram, me paravam na rua, torciam pela minha cura, e algumas falando que eu estava sendo exemplo de força para alguém que estava em tratamento, ou passando por alguma situação difícil. Procurava mostrar que podemos ser felizes, podemos ser bonitas, e VIVER, mesmo durante o tratamento oncológico”, comenta.

Após o tratamento

Hoje, uma nova página em sua vida começa a ser escrita. Mais forte e determinada. “Hoje, eu sei que Deus teve um propósito com tudo isso. Ele permitiu isso em minha vida, não só para mudar meu coração e minhas atitudes, mas também todos aqueles que tive alcance. Somos instrumentos da obra Dele e tenho plena convicção que ninguém entra em nossas vidas sem um plano de Deus. Minha família, meus amigos, pessoas que eu nunca olhei ou tive contato chegam até a mim para falar o quanto as vidas delas mudaram através do meu testemunho. Desde o período em que comecei a fazer as quimioterapias, voltei a minha rotina, retornando ao meu trabalho e a faculdade. Não vivi a doença, eu sabia que tinha VIDA. Sou uma nova pessoa, amadureci com a dor, me tornei uma pessoa melhor. Nunca perguntei o porquê a Deus que eu estava com câncer, mas mesmo assim Ele me respondeu: que Ele tem um propósito para a minha vida, e eu sou propósito dele na vida de algumas pessoas”, contou emocionada mais uma vez.

VER COMENTÁRIOS
LER MATÉRIA COMPLETA
MOSTRAR MAIS