CASO DÉCIO SÁ

Justiça concede liberdade a Júnior Bolinha

Júnior Bolinha foi intermediador da contratação do assassino do jornalista Décio Sá; Ele segue em liberdade até a data do julgamento

Reprodução

A 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA) concedeu, na noite desta quinta-feira, 14, soltura a José Raimundo Sales Chaves Júnior, o Júnior Bolinha, um dos envolvidos na morte do jornalista e blogueiro Décio Sá. Ele teria sido o intermediador da contratação do pistoleiro Jhonathan de Sousa Silva.

A decisão foi dada pelos desembargadores José Luiz Oliveira de Almeida (Presidente/Relator), José Bernardo Silva Rodrigues e Vicente de Paula Gomes de Castro. Agora Júnior Bolinha irá responder pelo caso em liberdade, já que a data de julgamento do envolvimento dele no assassinato do jornalista ainda não foi marcada pela justiça.

Júnior Bolinha estava preso desde 2012 e, em 2013 fugiu da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos, onde cumpria mandado de prisão preventiva. O fugitivo ainda sequestrou uma pessoa, foi recapturado e depois encaminhado ao Centro de Triagem do Complexo Penitenciário São Luís, em Pedrinhas.

A defesa de Bolinha entrou duas vezes com pedido de habeas corpus, alegando que o prazo de presão preventiva havia se excedido.

Andamento do processo

Em outubro deste ano, o Supremo Tribunal Federal (STF) chegou a fazer uma recomendação para que a Justiça do Maranhão desse mais agilidade ao julgamento dos acusados da morte do jornalista. Até agora, a Justiça condenou apenas o assassino confesso Jhonathan a 27 anos de prisão e Marcos Bruno Silva de Oliveira, o ‘Amaral’, ajudante de Jhonathan, a 18 anos de reclusão.

O julgamento de Gláucio Alencar Pontes de Carvalho e José Alencar Miranda de Carvalho, acusados de serem os mandantes do crime, além de Bolinha ainda não foram marcados pela justiça. Desses três, apenas Júnior continuava preso em Pedrinhas.

José Alencar cumpre prisão domiciliar por conta de problemas de saúde; o filho dele, Gláucio Alencar, já estava em regime domiciliar referente a outros crimes de agiotagem, fraude à licitações e formação de quadrilha. Porém, no início deste mês recebeu habeas corpus para responder ao caso em regime domiciliar referente ao caso Décio Sá.

Relembre o crime

O jornalista Décio Sá de 42 anos, era jornalista e possuía um dos mais acessados blogs no estado sobre o assunto. De acordo com a polícia, a motivação do crime teria sido uma reportagem que ele fez em seu blog sobre o assassinato do empresário Fábio Brasil na cidade de Teresina, no Piauí.

As investigações apontam que os envolvidos no assassinato faziam parte de uma quadrilha de agiotas que emprestava dinheiro para financiar campanhas eleitorais..

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS