COHAB

Descarte irregular de lixo preocupa moradores

Moradores alertam para o problema do descarte irregular de lixo nas ruas e terrenos e temem que suas casas sejam invadidas pela água nas próximas chuvas

Foto: Luís Furtado

São Luís teve dois dias de chuvas intensas que pegaram grande parte dos ludovicences desprevenidos e causaram uma série de transtornos à população. Desde alagamentos, entupimentos de bueiros e galerias, até quedas de energia, a capital do estado parecia estar passando por crises que só se veem em filmes apocalípticos, com pessoas ficando totalmente presas em locais onde a água não deu trégua.

Sobraram reclamações nas redes sociais de quem teve prejuízos em eletrodomésticos, porque tiveram a casa invadida pela água que não escoou. Em outros bairros, porém, o problema está relacionado ao abandono de terrenos, falta de educação da própria população, que juntos propiciam calamidades anunciadas que tiram o sono de todo mundo.

No conjunto Cohab Anil IV, moradores estão sentindo na pele os problemas do descarte irregular de lixo na região. Em um terreno entre a Rua 3, Rua 9 e Avenida Quatro, onde não há cercas nem muros, um verdadeiro lixão foi se formando com o despejo diário de todo tipo de resíduos, principalmente, por carroceiros que trabalham nas redondezas.

São restos de entulho de construção, lixo doméstico, sobras de podas de árvores e até móveis, como cama e sofá, além de pneus velhos. O local, que já causava incômodo aos moradores, ficou ainda pior depois do temporal, pois, com a quantidade de água que se acumula na rua sempre que chove, a preocupação é que agora o lixo invada as casas, caso outra chuva de grandes proporções aconteça.

Situação antiga

Segundo o morador Nonato Silva, o terreno é usado há bastante tempo como depósito de lixo, e os moradores do entorno têm que construir batentes altos em casa para evitar que a água da chuva venha trazendo outras coisas. “Aqui, quando chove, fica parecendo um rio. Desce água de todas as ruas para cá. Acho que porque é mais baixo. Quem tem casa nessa região já construiu batentes nas portas para não entrar água e alagar tudo dentro de casa. Agora, com esse lixo todo aí, quando chover, vai sair levando tudo para a porta das pessoas”.

Ele diz que mesmo quando o lixo é retirado do local não demora muito a estar tudo cheio novamente. “Aqui vinham antigamente uns três ou quatro caminhões, aí retiravam o lixo todo daí. Mas é só esperar saírem que os carroceiros, ou gente que vem em caminhonete mesmo, jogam coisas aí. Fica todo tempo essa nojeira”.

Para a professora Lianete Silva a preocupação é que o lixo aliado à sujeira em que se encontra o terreno sejam fatores propícios a doenças. “O meu medo é que daqui a pouco comesse a ter surto de dengues ou outras doenças aqui. Porque você pode ver aí que jogam pneus, móveis. Tudo isso vai acumulando água, e para ter mosquito da dengue é muito fácil”.

Se está aberto, vamos sujar

Durante a reportagem, a equipe flagrou um carroceiro jogando lixo no local. Ele não quis se identificar e apenas afirmou que estava prestando serviço para uma pessoa que o havia contratado para se desfazer dos detritos. Segundo ele afirmou, “as pessoas não querem saber onde joga, só querem saber que não está mais na sua casa”.

O fato do terreno não estar cercado propicia a ação dos carroceiros, segundo o morador Nonato Silva. Ele diz ainda que a construção de um Ecoponto no terreno diminuiria bastante os problemas hoje existentes. “Aqui é aberto. Então, todo mundo se acha no direito de jogar o que quiser e nada vai acontecer. Mas ninguém pensa que pode estar prejudicando outras pessoas. Aqui esse lixo só ainda não desceu para as casa porque tem uma terra aqui impedindo, caso contrário, já estava tudo no meio da rua. Acho que se construíssem um Ecoponto aqui pelo menos não ia mais ficar essa porcaria a céu aberto, estaria no lugar certo”.

Mais chuva a caminho

Para quem já ficou preocupado com os prejuízos causados pela chuva que já passou, a preocupação deve ser redobrada com a que ainda virá. Segundo a previsão do tempo do site Climatempo, há possibilidades de chuvas para toda a próxima semana na ilha, com pancadas de intensidade semelhante às que já caíram. Esse fenômeno ocorre por conta da concentração de nuvens do norte e sudeste do país e ganham força com o sistema de alta pressão que trouxe ventos frios do mar para o continente. As previsões apontam chuvas de pelo menos 5mm para o estado durante este período.

Nota 

O Comitê Gestor de Limpeza Urbana informou em nota que o apoio da população é necessário para que faça o descarte do lixo domiciliar de forma adequada, acondicionando-o em sacos plásticos e colocando-o em sua porta nos dias e horários da coleta. Segundo o que informou o órgão, no bairro Cohab Anil IV, a coleta domiciliar é feita às terças, quintas e sábados, sempre no período diurno. O Comitê ressaltou ainda que irá reforçar o monitoramento na localidade, buscando identificar a origem de descargas irregulares. Denúncias ou reclamações podem ser realizadas através da Central de Atendimento: 0800 098 1636.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS