MUDANÇAS

Cleones Cunha e Júlio Prasesres assumem como membros efetivos do TRE-MA nesta tarde

O evento ocorrerá no auditório Ernani Santos a partir das 16h. Ambos passam a integrar a Corte do TRE-MA nos lugares do desembargador Raimundo Barros e da juíza Kátia Coelho, cujos biênios terminaram no fim de semana.

Foto: Reprodução

Hoje à tarde, o desembargador Cleones Cunha e o juiz Júlio Praseres assumem como membros efetivos do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão em sessão administrativa extraordinária. O evento ocorrerá no auditório Ernani Santos a partir das 16h. Ambos passam a integrar a Corte do TRE-MA nos lugares do desembargador Raimundo Barros e da juíza Kátia Coelho, cujos biênios terminaram no fim de semana.

Ainda durante a sessão extraordinária, segundo prevê os parágrafos 2º e 3º do artigo 5º do Regimento Interno, haverá eleição para os cargos de presidente e corregedor. “§ 2º A eleição do novo presidente do Tribunal ocorrerá logo após o término do mandato ou biênio do atual presidente e será procedida por meio de voto secreto na mesma sessão em que se der posse do novo membro. § 3º Será considerado eleito presidente o membro que obtiver a maioria absoluta dos votos dos integrantes da corte e a solenidade de posse dos novos dirigentes dar-se-á na primeira sessão após às respectivas eleições”.

O artigo 5º regulamenta ainda que a presidência do Tribunal será exercida por um dos desembargadores indicados pelo Tribunal de Justiça do Maranhão para ter assento como membro deste Tribunal Regional Eleitoral, cabendo ao outro, o exercício cumulativo de vice-presidente e corregedor regional eleitoral.

Despedida

Na última quinta-feira (14), o desembargador Raimundo Barros se despediu da Corte do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão e destacou algumas conquistas obtidas pelo TRE durante sua gestão. Além de premiações nacionais, o TRE conseguiu, em 2017, se empenhou para que o Maranhão não tivesse dezenas de zonas eleitorais de serem extintas. A manutenção das zonas resultou de esforço institucional da presidência, corregedoria e diretoria-geral junto ao TSE, sensibilizando os ministros para a questão do atendimento dos eleitores e lotação de servidores.

Outra marca foi a nomeação de 20 servidores oriundos do concurso 2015 antes que o Tribunal Superior Eleitoral baixasse portaria 671 proibindo novos atos. Apesar da crise, a gestão do desembargador Raimundo Barros construiu o Fórum Eleitoral de Urbano Santos e garantiu a reforma do Fórum de São Luís.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS