POLÍTICA

Brandão anuncia saída do PSDB e trabalha por ‘debandada geral’

Vice governador optou por não seguir na “desgastante” batalha pelo comando do PSDB no Maranhão. Sairá, mas tentará levar consigo o máximo possível de aliados

Reprodução

O vice-governador e presidente estadual do PSDB, Carlos Brandão, jogou a toalha. Anunciou que não lutará mais pela direção do partido no Maranhão. E em alguns dias anunciará sua filiação em uma nova legenda.

Com isso, o caminho está livre para o senador Roberto Rocha, que provavelmente assumirá a direção do ninho tucano estadual e terá como braço direito o ex-prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira. Ambos lutaram (e conseguiram) tomar a direção do partido, mesmo que ainda não oficialmente, por meio de polêmica intervenção da cúpula nacional.

Hoje é o dia da convenção nacional dos tucanos, em Brasília. Dia em que o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, se consolidará como presidenciável e terá total comando sobre o novo mandatário da legenda. No Maranhão, Rocha e Madeira são os aliados de primeira hora e tomarão, oficialmente, as rédeas do partido. O objetivo é ter Rocha candidato ao governo  contra Flávio Dino e, quem sabe, com Sebastião Madeira candidato ao Senado.

Desgaste

Brandão explicou em sua conta no Facebook a decisão de não seguir com os tucanos. “Decidi por não continuar seguindo no Maranhão os caminhos que escolhemos seguir. Resolvo reavaliar minha permanência como filiado ao partido”, disse. “Entendo que o PSDB nacional não queira proximidade com nenhum partido de esquerda. Respeito essa avaliação, muito embora considere que a situação no Maranhão seja diferente”, avaliou.

O gesto mostra que Brandão, neste momento, optou por engrossar as fileiras políticas que apoiam o projeto do governador Flávio Dino. Se comporta como um bom soldado e um aliado confiável. “Chegamos a conclusão que o que mais importa não é continuar a batalha desgastante pela direção do partido. É ter clareza para tomar uma decisão serena, conciliadora e com visão de futuro, para o bem do Maranhão”.

Com isso, tomou decisão paradoxal. Irá para outra sigla mas tentará levar consigo o máximo de aliados possível. Ou seja, o partido que ajudou a construir nos últimos anos – hoje o PSDB tem 30 prefeito, 30 vices e mais de 160 vereadores – agora tentará destruir por força da conjuntura. Tudo para ajudar na continuidade do governo Flávio Dino e fragilizar o quanto puder Roberto Rocha.

Nos próximos dias, Brandão conversará com todos os filiados no intuito de convencê-los a irem juntos para a nova legenda. “Estou ouvindo todas as lideranças. Vereadores, prefeitos, vice-prefeitos e deputados. E a opinião deles será fundamental nesse processo. Em breve, estarei reunido com grandes lideranças do PSDB maranhense, que me ajudarão a definir os novos passos”, informou.

Ele conversa com vários partidos. Evita dar sinais de que já tem sua escolha, embora o PSB seja um caminho natural e simpático. Porém, mais importante do que decidir seu destino formal, é saber quem entre os tucanos do Maranhão preferem neste momento: se seguir com Dino ou ficar com Roberto Rocha. Brandão aposta e trabalha por uma debandada geral.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS