CASO ALANNA

Polícia prende suspeito de matar Alanna Ludmila

Robert Serejo Oliveira tentava sair da capital em uma van quando o veículo foi parado por uma barreira policial

Reprodução

Suspeito de estuprar e assassinar a menina Alanna Ludmila, Robert Serejo de Oliveira, acaba de ser encontrado pela polícia nas proximidades da Estiva, Zona Rural do São Luís. Ele estava sendo procurado pela polícia desde a madrugada da última quinta-feira, 2, quando desapareceu após prestar depoimento na Delegacia do Maiobão.

Robert foi encontrado na manhã deste sábado, quando tentava fugir para o interior do estado e acabou embarcando em uma van na qual os sargentos Burgos e César, lotados no 6º BPM estavam a caminho de um evento esportivo no município de Pirapemas. Robert  logo foi reconhecido pelos policias, que de pronto avisaram o motorista do veículo, parando sem seguida em uma barreira policial na BR- 135, quando foi capturado. Ele ainda estava  a mesma camisa vermelha de quando prestou depoimento na madrugada da quinta-feira, 1, após o desaparecimento da pequena Ludmila.

As informações foram confirmadas por meio de uma rede social da Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico (SENARC), responsável pelo patrulhamento no momento da ocorrência.

Veja o vídeo do momento em que Robert é encaminhado para a Seic (Superintendência Estadual de Investigações Criminais).

Confira o cerco que a Polícia organizou na Seic para receber o foragido em nossa live no Facebook clicando aqui.

Comoção no enterro de Alanna

Com muita comoção e revolta, familiares e amigos deram o último adeus à menina Alanna Ludmilana manhã deste sábado, dia 04. Aos dez anos de idade, a criança foi brutalmente assassinada, com sinais de asfixia e agressão sexual. Seu corpo foi encontrado nesta sexta-feira, 03, enterrado em cova rasa, coberto por entulhos, no quintal da própria casa da família.

Foto: Karlos Geromy

O corpo da menina Alanna foi velado na Unidade Integrada Marly Sarney, no Maiobão, em Paço do Lumiar. Centenas de pessoas, dos vizinhos e amigos mais próximos aos curiosos sensibilizados com a perda, passaram pelo local. A família, no entanto, precisou lidar com a revolta de populares, causada pela divulgação de informações ainda não confirmadas pela Polícia e boatos espalhados pelas redes sociais.

População querendo fazer justiça com as próprias mãos 

Jaciane, mãe de Alanna declarou que se preocupa com o filho de quatro anos quatro anos que se encontra na casa dos avós, onde mais um ato de vandalismo foi registrado. “Meu filho teve que sair de casa porque estavam atirando pedras e tentando incendiar o local. Ele não tem culpa, não façam isso de novo. Eu estou sofrendo em dobro, porque a qualquer momento podem atingir ele”, conta a mãe, que esteve hospitalizada após o encontro do corpo da filha.

Entenda

Alanna Ludmila, de 10 anos, desapareceu na última quarta-feira, 1º, após a mãe sair para uma entrevista de emprego. Dois dias se passaram até a polícia encontrar a menina morta, no quintal da própria casa. Alanna apresentava sinais de violência sexual e asfixia.

O principal suspeito, o ex-companheiro de sua mãe, Robert Serejo Oliveira, continua foragido. A polícia segue com as investigações e não dispensa a hipótese do crime ter  o envolvimento de outras pessoas.

MOSTRAR MAIS