FUTEBOL

Campeonato Maranhense sofre mudanças para 2018

Primeira rodada terá abertura com o Sampaio (campeão de 2017), jogando contra o vencedor da Série B. Moto Club estreia fora de casa, contra o Imperatriz

Foto: Karlos Geromy

Em reunião que contou com a presença de representantes de todos os clubes interessados em participar do Campeonato Maranhense, a FMF apresentou ontem pela manhã a proposta de regulamento da competição profissional do futebol em 2018. O encontro teve lugar na sede da entidade, na Rua do Alecrim (Centro). O presidente da federação, Antônio Américo Gonçalves, marcou presença, abrindo os trabalhos, que logo em seguida continuaram com o vice de Competições, Hans Nina, detalhando todos os pontos do documento.

O campeonato tem data de início marcada para 21 de janeiro, com a participação de oito clubes (Cordino, MAC, Sampaio, Moto, Santa Quitéria, São José, Imperatriz e o campeão da Série B), devendo se estender até a segunda quinzena de março, mas pode ir até 8 de abril, dependendo da classificação do Cordino na Copa do Nordeste. Os jogos da equipe de Barra do Corda na disputa de uma vaga com o Treze-PB serão nos dias 4 e 11 de janeiro. A rodada inicial do Campeonato Maranhense marca o jogo entre Sampaio Corrêa e o campeão da Segundinha; o Moto vai a Imperatriz; Cordino e Santa Quitéria; e São José x Maranhão.

Como já havia sido aprovada no primeiro encontro, a fórmula de disputa será de apenas um turno classificatório (primeira fase), em que os clubes disputarão entre si, no sistema só de ida, totalizando sete jogos para cada time, classificando-se quatro para a fase semifinal. Em caso de haver empate em pontos ganhos entre duas ou mais associações, independente da fase, o desempate, para definição da classificação, será pelo índice técnico na aplicação dos critérios de maior número de vitórias; maior saldo de gols; maior número de gols marcados; maior número de pontos ganhos no confronto direto; maior saldo de gols no confronto direto; menor número de cartões vermelhos recebidos pelos atletas de um clube ao longo da competição; e menor número de cartões amarelos recebidos por atletas integrantes de cada associação. Na fase semifinal, o primeiro colocado enfrenta o quarto e o segundo joga com o terceiro. Não haverá vantagem do gol qualificado (marcado fora de casa) e o vencedor será conhecido pelo saldo de gols.

Polêmica

Nina teve que interromper em algumas vezes o detalhamento, para atender sugestões de aperfeiçoamento ou mudanças no texto. Um dos pontos mais polêmicos ocorreu quando da leitura do artigo 41, que prevê o pagamento de R$ 10.000 de multa para o clube que deixar de pagar os salários dos atletas em mais de 30 dias.

O presidente Celio Sergio (Moto) foi a primeira voz discordante. Considerou abusivo o valor da multa e acusou a FMF de tentar fazer caixa com os valores recolhidos. Hans Nina esclareceu que a multa foi estabelecida a fim de evitar que a equipe infratora perca três pontos e mesmo tendo direito ao prazo para apresentar defesa possa ser punida tecnicamente, causando frustração à sua torcida em caso de já estar classificada para uma das fases decisivas. Foi aí que Antônio Américo interveio, sugerindo que os valores fossem reduzidos e recolhidos ao Sindicato dos Atletas Profissionais de Futebol, hoje sob o comando de Raimundinho Lopes.

IMPARCIAL – Sampaio e Moto não gostaram da tabela e acham que o Imperatriz foi o maior beneficiado por enfrentar as duas grandes equipes da capital no Frei Epifânio. Como o senhor explicaria esses critérios?
HANS – Foi o uma série de fatores. Passaria muito tempo para esclarecer. São 23 notas explicativas, levando em conta que Sampaio e Cordino estão no Brasileiro. Mas, fizemos um levantamento da quilometragem percorrida e principalmente dos três últimos campeonatos para ver quem viajou mais e quem viajou menos. Seria muito mais cômodo a gente fazer a tabela e dizer pronto, acabou, mas a gente optou por dar esclarecimentos. Tabela você nunca vai agradar a todo mundo.

E até onde a participação desses clubes nas copas do Brasil e Nordeste serviram de parâmetro para montagem dessa tabela?
Bem, o Sampaio está nas duas competições, e o Cordino, se passar pelo Treze na fase preliminar da Copa do Nordeste, também vai ter que viajar mais. Isso gera mais logística com deslocamentos e, consequentemente, afeta o intervalo de disputa em três competições. Vamos colocar no site da federação para que todos entendam melhor. Santa Quitéria também diz que foi prejudicado, mas, com essa quantidade de clubes, não tem saída. Vai fazer quatro viagens, mas, a quilometragem feita pelas equipes estão equilibradas.

Qual o ponto em que houve mais resistência por parte dos clubes durante a reunião?
O primeiro ponto questionado foi a proposta de realização da primeira competição, que houve um debate, mas depois a maioria aceitou. Outro ponto foi o caso da aplicação da multa por atraso de salários. Houve uma contestação, principalmente por parte do Moto, e a tabela, que não tem jeito. Lógico que cada um quer tudo do seu jeito, né? Mas a gente tem que equilibrar forças em todos os sentidos.

Apesar dessas polêmicas, o senhor acha que a reunião foi positiva e está quase tudo aprovado?
Acredito que sim. É natural que haja algumas reclamações, mas você viu que os pontos de discórdia foram muito poucos e acabaram sendo praticamente resolvidos aqui mesmo. Temos agora dez dias para que os clubes retornem e saia a aprovação definitiva do regulamento.

MOSTRAR MAIS