Sucesso

Ação do programa Família Acolhedora comemora final feliz

Final feliz em mais uma história de vida das muitas atendidas pelo programa. O pequeno R.F.C.R, 8 anos, retornou ao seio de sua família.

Reprodução

O programa Família Acolhedora, ação executada por meio da Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas), comemora o final feliz de mais uma história de vida das muitas atendidas pelo programa. Após dois anos de acolhimento institucional, o pequeno R.F.C.R, 8 anos, retornou ao seio de sua família.
O sucesso da reinserção do garoto é resultado de intensa articulação realizada pela Semcas para proporcionar ao menino o destino que ele sonhava. O garoto vive agora no Rio de Janeiro, com uma de suas tias, Dayse Dias Cunha, que foi considerada apta a tutelar o sobrinho, em parecer emitido pela Primeira Vara da Infância e Juventude daquele estado.
A articulação para a reinserção de menor R.F.C.R ao convívio de sua família começou durante o período em que ele esteve sob custódia do município. O menino foi uma das crianças atendidas pela Casa de Passagem, instituição mantida pela Prefeitura de São Luís, sendo beneficiado, em seguida, pelo programa Família Acolhedora, que tem o objetivo de proporcionar a crianças e adolescentes vítimas de violação de direitos o acolhimento temporário por famílias cadastradas no programa.
“O programa Família Acolhedora é mais uma importante ação que desenvolvemos em favor da efetivação de nossa política social visando à proteção da infância e da juventude no nosso município. Já avançamos muito na área e podemos contabilizar uma série de atividades e programas executados para proporcionar aos cidadãos ludovicenses o direito a uma vida digna e à convivência social mais saudável”, afirmou o prefeito Edivaldo.
Muito carinhoso e admirado por todos, R.F.C.R sempre manifestou, desde o início de seu acolhimento institucional, um grande desejo de viver um contexto familiar e verbalizava com muita frequência essa necessidade aos psicólogos e assistentes sociais que o atenderam na Casa de Passagem.
“Por conta disso, começamos a nos mobilizar para atender esse desejo, em parte por meio do nosso programa Família Acolhedora. Por meio dessa ação fazemos com que as crianças em acolhimento institucional não percam a referência de família, aspecto tão importante para o seu desenvolvimento psicossocial e emocional”, relatou a titular da Semcas, Andréia Lauande.

“Já avançamos muito na área e podemos contabilizar uma série de atividades e programas executados para proporcionar aos cidadãos ludovicenses o direito a uma vida digna e à convivência social mais saudável” –  Edivaldo Holanda Jr, prefeito

Acolhimento

Para ser uma família acolhedora, é necessário atender alguns critérios, como residir em São Luís, ter disponibilidade de tempo para cuidar do menor, possuir mais de 21 anos, ser saudável para zelar pela saúde do acolhido e garantir a frequência na escola e a convivência familiar.
Além disso, é necessário não ter pendências judiciais, não fazer uso de álcool e outras drogas, não ter interesse em adoção, já que o acolhido deve ser reinserido na família de origem e ter a concordância de todos os membros da família para o possível acolhimento. Para requerer a adesão ao programa, é necessário se cadastrar na Semcas.

MOSTRAR MAIS