ENTENDA

Maranhão pode ficar sem recurso de R$160 milhões

Acordo firmado para investir R$ 160 milhões na saúde depende de parlamentares. Documento deve ser protocolado hoje, mas ainda faltam assinaturas de senadores

Foto: Bancada federal havia se comprometido a destinar R$ 160 milhões para a saúde de municípios em 2018

O acordo firmado entre a bancada federal do Maranhão e a Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem) no início do mês – que destinaria cerca de R$ 160 milhões de emendas federais para investimentos em saúde em 2018 no estado – corre o risco de não sair do papel, ou melhor, pode ficar apenas no discurso. O prazo para protocolar o documento oficial termina hoje, às 18h (horário de Brasília), mas ainda não possui a quantidade de assinaturas suficientes: é necessário que pelo menos 14 deputados e dois senadores assinem.

O maior problema nesse caso são os senadores Edison Lobão (PMDB), João Alberto (PMDB) e Roberto Costa (PSDB). Os parlamentares estão fazendo jogo duro para assinar o documento. E o motivo tende a ser político, uma vez que os três são de oposição ao governador Flávio Dino (PCdoB).

Para a oposição, destinar os R$ 160 milhões para a saúde dos municípios maranhenses seria como “ajudar” o projeto de reeleição de Dino no ano que vem. Ao que parece, há a disputa entre interesses políticos próprios e benefícios para a população maranhense. Por isso, os deputados da base aliada ao governador tentam convencer os senadores da importância destes recursos para o estado, mas, até o momento, em vão.

Para se ter ideia do clima em Brasília, as reuniões da bancada federal estão bastante acaloradas e as negociações prosseguem. Em um dos encontros desta semana, os deputados Weverton Rocha (PDT) e Sarney Filho (PV) discutiram intensamente por conta destes investimentos para a saúde, segundo fontes ouvidas pela reportagem de O Imparcial.

Críticas

O certo é que o governador Flávio Dino comprou a briga por esses recursos para a saúde. Para ele, é um “absurdo” que a bancada federal negue R$ 160 milhões para o estado. “Um absurdo que parte da bancada federal negue uma emenda parlamentar e prejudique a saúde dos municípios, supostamente para me atingir. E o mais importante: é inadmissível que alguns senadores e deputados prejudiquem a população para supostamente me atingir”, afirmou Dino.

Em solenidade na capital maranhense, o deputado federal André Fufuca (PP) mostrou que está realmente ao lado de Dino e criticou seus pares que não pretendem assinar o documento para destinar os R$ 160 milhões para a saúde. “Não é justo que hoje, autoridades constituídas no Maranhão, eleitas com o voto do povo maranhense, se recusem a assinar um recurso que vai para os nossos municípios. Isso não é legítimo”, afirmou Fufuca.

O jornal O Imparcial entrou em contato com as assessorias dos senadores Edison Lobão, João Alberto e Roberto Costa, mas não obteve respostas sobre o assunto.

MOSTRAR MAIS