Taça das Favelas

Dexter e Rashid se apresentam em São Luís

Os rappers serão as grandes atrações da final da Taça das Favelas 2017, neste domingo, a partir das 19h; O evento é uma parceria do governo estado com a Central Única das Favelas

O mineiro Michel Dias Costa, mais conhecido como Rashid, começou a carreira aos 14 anos e hoje já se apresentou mundialmente. Foto: Reprodução

Os rappers Dexter e Rashid serão as grandes atrações do show da final da Taça das Favelas 2017, domingo (8), a partir das 19h, na Reserva do Itapiracó, no Cohatrac. O evento esportivo, que começa às 16h, promovido pelo governo do estado por meio da Secretaria de Estado do Esporte e Lazer (Sedel), em parceria com a Central Única de Favelas (Cufa), está em sua segunda edição.

O coordenador estadual da Cufa no Maranhão, Preto Nando, em entrevista a O Imparcial, revelou que o projeto é uma maneira de fomentar a integração entre as comunidades em situação de vulnerabilidade em São Luís, por meio da cultura e do esporte. “Proporcionamos esse momento de interação entre a população. A partir dessa atividade, criamos um núcleo permanente entre comunidade e governo do estado. A nossa intenção é dar oportunidade aos jovens que moram nestas comunidades e acesso a práticas esportivas e culturais. No ano passado, o governador Flávio Dino trouxe a primeira edição do Taça das Favelas, em parceria com a Cufa. Foi um momento que deu muito certo. A maior importância de toda essa iniciativa é agregar a comunidade, governo do estado e iniciativa privada”, explicou.

Preto Nando ressaltou ainda que os dois rappers que foram convidados para o show de encerramento são duas referências da cena atual do hip hop. E que a história de superação vivida por eles, que passaram por dificuldades antes da fama e do reconhecimento como artistas, pode inspirar jovens da ilha que também sofrem preconceitos e são marginalizados.

Dexter e a liberdade através do rap

O rapper paulista Dexter, foi membro do grupo Rap 509-E, fundado em 1999 no Carandirú. Após a liberdade, protagonizou sua volta em 2012. Foto: Reprodução

Dexter, que nasceu Marcos Fernandes de Omena, adotou o apelido em meados dos anos de 1990, ao ler a autobiografia de Martin Luther King Jr, quando descobriu que um de seus filhos se chamava Dexter, que significa vários adjetivos como: direito, correto liberdade etc. O rapper paulista, que hoje segue em carreira solo, foi membro do extinto grupo de rap 509-E, que foi fundado em 1999, na Penitenciária do Carandiru, onde cumpria pena.

Depois de 13 anos no sistema prisional, Marcos Fernandes de Omena, ganhou a liberdade em 2011 e tem viajado ao redor do Brasil fazendo shows e palestras. Desde então, já se apresentou ao lado de nomes como Seu Jorge, Mano Brown e Racionais MC’s, entre outros, consagrando-se como um dos maiores representantes do rap nacional. Brown costuma apresentá-lo como o quinto elemento dos Racionais.

Sua carreira solo iniciou em 2005, parte do CD Exilado Sim, Preso Não, que foi premiado no HUTÚZ como melhor álbum daquele ano e agraciado com mais quatro prêmios pelo Hip Hop Top. Em 2009, Dexter passou para o regime semiaberto e grava o CD e DVD Dexter & Convidados ao vivo, que reuniu a nata do rap em um único palco.

O freestyle de Rashid

Outra atração do evento é o mineiro Michel Dias Costa, que começou cedo no mundo do rap e adotou no início da carreira o apelido de Moska. Depois de um tempo, mudou para Rashid, que em língua árabe significa “justo”, “verdadeiro”. Com 14 anos, formou, junto com Projota e Artigo, o grupo Strondu. Ali compôs suas primeiras músicas e decidiu ingressar nas batalhas de freestyle por volta de 2006, onde conseguiu prestígio e vários títulos consecutivos na Batalha do Santa Cruz e na Rinha dos MC’s. Foi, juntamente com Emicida, um dos únicos MC’s a conquistarem o troféu “Galo de Ouro”.

Tornou-se mais conhecido no Brasil após participar da Liga dos MC’s de 2007, onde Rashid pôde então dar mais dimensão ao seu nome e aumentar sua experiência em batalhas. Em março de 2010, lançou o seu primeiro EP, chamado Hora de Acordar, o qual contém nove faixas. Em outubro de 2010, Rashid participou da vinheta na Sportv para a chamada da edição do Novo Basquete Brasil, ao lado dos basquetebolistas Marcelinho, Alex Garcia e Raulzinho.

Em junho de 2011, lançou a sua mixtape Dádiva e Dívida, que teve lançamento oficial na Hole Club. E em março de 2012, o rapper lançou a mixtape Que Assim Seja, a qual contém 20 faixas. E no ano de 2013, lançou a mixtape Confundindo Sábios, onde tem a participações de vários outros rappers.

Confundindo Sábios, foi muito bem recebida pela critica, tanto pelos arranjos como pela própria produção do disco, sendo assim considerada o melhor trabalho de Rashid. No começo de 2014, Rashid, em companhia de Emicida, fez seu primeiro show internacional, no maior festival de música independente do mundo, o SXSW, em Austin, no Texas, que teve como atrações principais os rappers Jay-Z, Nas e Kanye West. Rashid é uma das grandes esperanças do rap nacional, para voltar ao patamar alcançado no final nos anos de 1990 e começo dos anos 2000. No show em São Luís, apresentará canções como: A Coragem da Luz, Hora de Acordar, Dádiva e Dívida, Que Assim Seja, Confundindo Sábios, Selva, Vou Ser Mais, Que Assim Seja, entre outros.

MOSTRAR MAIS