Concorrência

Cresce a busca por cursos preparatórios em São Luís

Estabilidade e bons salários têm direcionado o foco de muitos para os tão visados concursos públicos; Altas taxas de desocupação e crise econômica também são motivos para busca por cargos públicos

Reprodução

Concurso público virou sinônimo de estabilidade. Isso se comprova na indefinida massa de desempregados que tem deixado empresas do setor privado. Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do IBGE, neste ano, a taxa nacional de desemprego ficou em 13,3%. Superando a média nacional, São Luís foi considerada a capital brasileira com maior taxa de desemprego no Brasil: 19,8% da população está desocupada.

Com esse prognóstico pouco favorável, os certames são vistos como única via de acesso para um futuro bem-sucedido. As inscrições em concursos aumentam, elevando também a concorrência por uma vaga no serviço público e a necessidade de estar mais bem preparado para as provas. Em decorrência disso, a busca por cursos preparatórios se intensifica.

O professor e proprietário do curso Júris Concursos, na capital maranhense, Elson Gomes, comenta que o grande mérito do concurso público é a solidez de carreira e financeira, principalmente quando se leva em consideração o cenário econômico atual do país. “Nós vivemos num país de crise, um país em que a crise é cíclica. Então, quem está num concurso não sofre com os abalos da crise, muito pelo contrário”, pontua Elson. “É na crise que o concursado tem a oportunidade de se consolidar ainda mais”.

Formada em Administração, Sheila Vieira trabalhou por um período de um ano na iniciativa privada e viu no concurso público uma oportunidade de diminuir preocupações financeiras. “Eu acho que você não deve ter medo. Porque em muitos casos, as pessoas escolhem um caminho que não tá dando certo e ficam receosas de tentar outra via. Não tenha medo. Tive apoio da família, que sempre me incentivou a estudar para alcançar meus objetivos”, observa.

Quem não quer ser concursado?

Lorena Barbosa, que é diretora do Júris, afirma que, somente em um mês, o curso recebeu uma leva de mais de 300 novos alunos. Segundo ela, o aumento de mais de 100% nas inscrições no preparatório se deve aos vários editais que foram abertos nas últimas semanas. “Em um mês, foram em torno de 300 alunos novos inscritos. Isso se deve aos editais da PRF e da Polícia Militar. Na semana passada, fechamos 70 inscrições só por conta do concurso da PM”, revela.

Lorena assinala que a procura intensa por cursos é legítima, uma vez que buscar estabilidade é o desejo de muitos. No entanto, ela também afirma que, em muitos casos, os candidatos se inscrevem mais por conta do salário e pouco se importam com o serviço público que passarão a prestar quando aprovados. “Eu acredito em uma abordagem objetiva. Acho válido estudar para concursos, mas é necessário pesquisar e entender o cargo em que o candidato está se inscrevendo. O salário é extremamente importante, mas é preciso lembrar que você vai prestar um serviço público, assim como um vereador ou prefeito”, pondera.

Foco no objetivo

Independente da motivação para ingressar no serviço público, o professor Elson aconselha: “Tenha foco e seja disciplinado. Tem que ter hábitos típicos de quem estuda para concursos. Tem que ter livros ou materiais de estudo adequados. Além disso, a família também deve apoiar a decisão do estudante. E, principalmente, é preciso que o candidato faça sacrifícios, se abstenha de várias coisas para que consiga alcançar o objetivo”, recomenda.

Quem bem sabe disso é Lucas Farias, de apenas 20 anos. Ele terminou o ensino médio e, por vontade própria, decidiu se dedicar aos estudos para concursos, com todo o apoio da família. “Eu achei melhor agir assim. Terminei o ensino médio há dois anos e, desde então, estudo para ter uma vida consolidada, bem-sucedida. Não é fácil. Já tive que deixar de sair com amigos, jogar bola e me divertir para estudar, mas conto com o apoio dos meus pais, eles me ajudam”, declara.