Vamos subir, Paiô!

Tricolores estão confiantes no acesso à série B

O time maranhense que terminou a fase de grupos sendo líder do Grupo A, precisa somente de um empate para retornar à série B

Chegou o grande dia! Hoje o Sampaio Corrêa enfrenta o Volta Redonda em busca do acesso para sua volta à segunda divisão do Campeonato Brasileiro. As equipes se enfrentam no Castelão, às 16h30.

O time maranhense que terminou a fase de grupos sendo líder do Grupo A, precisa somente de um empate para retornar à série B, onde esteve de 2014 a 2016.

Com milhares de ingressos vendidos para o confronto, a torcedora Clara Camila acompanha o Sampaio bem de perto desde 2010. Ela conta que a expectativa é grande para o confronto, que tem tudo para ser histórico. ” A Expectativa é enorme! O Sampaio está bem perto de conseguir o tão sonhado acesso para série B. Vimos o ano de 2016 muito difícil, sofrido, não tínhamos o time competitivo, não passava segurança, confiança e o resultado foi o rebaixamento. Hoje o time se mostra realmente competitivo”,detalha a contadora.

Se a expectativa é grande por parte dos torcedores, imagina dos atletas! O lateral direito tricolor Pedro Costa afirma que a ideia é fazer um bom jogo e conseguir o acesso para série B. “Eu assim como todos os atletas do Sampaio Corrêa, espero fazer um bom jogo e ajudar a minha equipe a conquista o acesso”, afirma o lateral.

Foto: Lucas Almeida/ L17 comununicação

O carioca  de 24 anos que tem passagens por times como Cabofriense , São Gonçalo e Madureira, todos do Rio de Janeiro. Chegou ao Sampaio Corrêa em março, após uma reformulação da equipe feita pelo técnico Francisco Diá. Ele foi um dos destaques no jogo de ida no Rio de Janeiro frisa e frisa que está vivendo um bom ano no time. ” Estou vivendo um ano muito bom no Sampaio Corrêa. Um ano que podemos deixar os nossos nomes na história do clube. Além de claro, ajudar muita na minha carreira como atleta”, detalha.

A pedagoga Amanda Barros acredita firmemente no acesso do time tricolor. ” Estou acreditando na vitória, consequentemente no acesso.  No começo eu estava

um pouco insegura devido os resultados de 2016 (ano em que o time caiu da série B). Mas assim que o campeonato começou esperanças voltaram a surgir. Sempre acreditando no meu time, claro”, finaliza a pedagoga.