Chapadinha

Propriedades ligadas à ex-prefeita são alvo de operação da Polícia Civil

A operação, realizada pela Superintendência Estadual de Prevenção e Combate à Corrupção, apura irregularidades em licitações e supressão de documentos públicos

Belezinha é ex-prefeita de Chapadinha. Foto: Reprodução

Estão sendo realizados na manhã desta quinta-feira (28), em Chapadinha, mandados de busca e apreensão em endereços ligados à ex-prefeita do município, Maria Ducilene Cordeiro (PRB), a “Belezinha”, que administrou a cidade de 2013 a 2016. A operação parte da Superintendência Estadual de Prevenção e Combate à Corrupção.

 

ESCLARECIMENTO SOBRE A MATÉRIA PUBLICADA PELA REDAÇÃO DO JORNAL “O IMPARCIAL”, EM 28 DE SETEMBRO DE 2017 – BUSCA E APREENSÃO EM CHAPADINHA (NA ÍNTEGRA)

Eu, Luciano de Souza Gomes, venho a público esclarecer que de fato exerci função Comissionada na Gestão da Ex-Prefeita Dulcilene Belezinha, no período de 2013 a 2016. Que tenho por ela grande apreço, uma vez que ela sempre me deu a possibilidade de desenvolver minha função respeitando a legislação pátria e os princípios da Administração Pública.

Hoje me surpreendi com a matéria publicada, por não ser condizente com a verdade dos fatos. A bem da verdade, eu não estou sendo alvo de nenhuma investigação, não fui ouvido em nenhum Inquérito Policial e não tenho ciência de haver sido expedido nenhum mandado de busca e apreensão contra mim. Portanto, é desprovida de qualquer fundo de verdade a afirmação de que Agentes da Polícia Civil estiveram hoje em minha residência.

Tal fato me causou grande constrangimento e me levou a uma exposição desnecessária, podendo inclusive haver prejuízos profissionais, posto que sigo minha trajetória trabalhando no poder legislativo e executivo e gostaria de continuar exercendo minhas atividades com a credibilidade que sempre tive.

Desta forma, espero com toda veemência que, tanto o Jornal “O Imparcial” quanto a Secretaria de Segurança Pública do Estado do Maranhão, possam se RETRATAR, publicando uma nova matéria acerca dos fatos, por ser medida de justiça.

 

 

NOTA

Esta matéria continha dados divulgados pela Secretaria de Segurança Pública que foram excluídos sem devidas explicações. Para resguardar a imagem de terceiros e reforçar o princípio da veracidade dos fatos, optamos por excluir informações que não foram comprovadas. Pedimos desculpas aos nossos leitores pelo lamentável ocorrido. 

Iremos apurar com elucubração a veracidade dos fatos divulgados e cumprir a nossa missão de entregar sempre conteúdos de credibilidade ao público.

MOSTRAR MAIS