ECONOMIA

Consumo familiar alavanca PIB em 0,2% no segundo trimestre

A pesquisa divulgada hoje (1º) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) afirma que, contudo, o Produto Interno Bruto (PIB) continua no negativo

Reprodução

O Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 0,2% no 2º trimestre de 2017, conforme dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado positivo dá fôlego ao governo, que aposta todas as fichas na recuperação da economia para reduzir o desgaste produzido pela crise política. Na comparação com o segundo trimestre de 2016, a variação do PIB foi de 0,3%.

Após nove trimestres consecutivos de queda, o consumo das famílias foi o principal motor de crescimento da geração de riquezas no país entre abril e julho, com variação positiva de 1,4% em relação ao período imediatamente anterior. O resultado do PIB também foi favorecido pela expansão de 0,6% do setor de serviços.

A expansão de 1,9% do comércio, de 0,8% de atividades imobiliárias e 0,6% dos serviços de transporte, armazenagem e correio explicaram o resultado positivo do setor de serviços. Para complementar o agronegócio teve variação nula, resultado que não jogou para baixo o PIB.

Apesar do resultado positivo, a indústria encolheu 0,5% no trimestre e consumo do governo teve retração de 0,9%. Já a formação bruta de capital fixo teve queda de 0,7%, reforçando as análises de que o investimento continua em baixa no país.  Com o resultado, o PIB acumulado nos quatro últimos trimestres continua negativo em 1,4% em relação aos quatro trimestres imediatamente anteriores.

MOSTRAR MAIS