No Maranhão

Coleta do Censo Agropecuário 2017 começa em outubro

O estudoserá realizado em todos os 217 municípios maranhenses e terminará em fevereiro de 2018; O objetivo é obter informações sobre a estrutura e as atividades desenvolvidas pelos estabelecimentos e produtores agropecuários do país

Reprodução

No próximo mês começa no Maranhão e nos outros estados brasileiros a coleta de dados para o Censo Agropecuário 2017, pesquisa essa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Trata-se do principal e mais completo levantamento de dados sobre a produção agropecuária, florestal e aquícola de todo o país.

O estudo, que começa a partir do dia 1° de outubro, será realizado em todos os 217 municípios maranhenses e terminará em fevereiro de 2018, que é o período de coleta das informações. Para facilitar os trabalhos, o Maranhão foi dividido em 39 subáreas, nas quais existem 51 postos de coletas, onde os 921 recenseadores trabalharão para o levantamento dos dados.

Esse quantitativo faz parte dos 1.223 profissionais que estão sendo contratados temporariamente para atuar durante os trabalhados do Censo Agropecuário 2017, entre recenseadores (921), agentes censitários de informática (6); agentes censitários administrativos (15); analistas censitários (5); agentes censitários regionais (20); agentes censitários municipais (51); e agentes censitários supervisores (205).

Em todo o Brasil, foram mais de 26 mil profissionais contratados para atuar durante as atividades do censo, que irão somar forças com os servidores já efetivos do órgão para trabalhar ao longo dos meses da coleta de dados.

Objetivo 

“O objetivo é obter informações sobre a estrutura e as atividades desenvolvidas pelos estabelecimentos e produtores agropecuários do país, bem como sobre a economia e o emprego no meio rural, no que diz respeito à agricultura, pecuária e agroindústria”, destacou Marcelo Melo, chefe da unidade regional do IBGE no Maranhão.

Ele informou também que o Censo Agropecuário tem outra importância, pois contribui diretamente para que a sociedade em geral tome conhecimento sobre a realidade mais atual vivida no campo, muitas vezes carente de dados oficiais que podem subsidiar futuras pesquisas sobre o tema.

“Ao conhecer quantos são, onde estão e o que produzem os agricultores, a agroindústria e os empreendedores familiares rurais no país, o IBGE atende, assim, uma importante demanda por estatísticas oficiais sobre o tema, até então contemplado apenas em trabalhos acadêmicos e científicos dispersos, realizados com base em dados históricos”, pontuou Melo.

Na próxima semana, dia 20, estará presente no Maranhão o gerente técnico do Censo Agropecuário do IBGE, Antônio Carlos Simões Florido, que destacará durante um evento a importância do censo para o desenvolvimento econômico não apenas do Maranhão, mas de todo o Brasil.

Essa atividade está prevista para às 14h no auditório da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), localizada na Avenida Carlos Cunha, no bairro do Calhau, em São Luís, e contará com a presença de membros do executivo estadual, municipal entre outras autoridades.  

Metodologia 

O Censo Agropecuário pretende investigar informações em cerca de 5,3 milhões de estabelecimentos agropecuários em todos os municípios brasileiros, levantando informações sobre agricultura; extração vegetal; silvicultura; criação de animais de grande, médio e pequeno porte; aquicultura; criação de abelhas; criação de bicho-da-seda; beneficiamento e transformação de produtos agropecuários; entre outras informações do setor rural.

Os dados serão coletados através de preenchimento de questionário eletrônico por meio do Dispositivo Móvel de Coleta (DMC). Os equipamentos mais modernos foram adquiridos para as atividades do censo e, após o término da pesquisa, serão utilizados para outros trabalhos de recenseamento.

Pretende-se obter informações sobre o total de estabelecimentos e o que produzem; a utilização de pessoal e mão de obra; caracterização do produtor; distribuição e uso de terras, entre outros dados do setor, referidos ao período de 1° de outubro de 2016 a 30 de setembro de 2017 para o Brasil, grandes regiões, unidades da federação, mesorregiões, microrregiões e municípios. A divulgação dos resultados preliminares está prevista para 2018.