O embate permanece

Taxistas pedem fiscalização de Uber em São Luís

A manifestação teve início na manhã desta segunda-feira (21) e deixou quilômetros de congestionamento nas principais avenidas de São Luís

Com a manifestação, o trânsito na cidade ficou caótico (Foto: Karlos Geromy)

Quem precisou sair de casa durante a manhã desta segunda-feira(21) deu de cara com um trânsito caótico. O motivo: um protesto organizado por taxistas de São Luís que,mais uma vez, mostraram insatisfação com os serviços dos motoristas do Uber na cidade.

Os manifestantes interditaram a Avenida Beira Mar às 4h da madrugada e permaneceram no local até por volta das 11 h da manhã. O que eles pedem é que haja fiscalização quanto à circulação dos veículos que prestam serviço ao aplicativo Uber.

Bruno Ribeiro é taxista há oito anos e diz que foi à manifestação por estar sendo prejudicado desde que o aplicativo Uber começou a atuar em São Luís. “Não estamos conseguindo pagar nossas contas devido a esse aplicativo da Uber. Tivemos uma queda significativa (em torno de 90%) no número de corridas”, disse.

Bruno diz que a ausência de fiscalização faz com que os taxistas sejam prejudicados e os motoristas do Uber acabem sendo beneficiados. “Pedimos a suspensão do aplicativo Uber. Durante a semana fazíamos de 150 a 200 reais e agora não fazemos nem a metade”, afirmou.

Taxista há quatro anos, Luís Panda ajudou na organização da manifestação que ocorreu na manhã de hoje. Luís diz que não há legislação que dê legitimidade ao trabalho dos motoristas do Uber. “Não há nenhuma lei que assegure o trabalho do Uber. Nós pagamos todos os nossos impostos e geramos lucros para o município. A nossa concorrente é uma predadora do nosso sistema de táxi”, disse.

Segurando um cartaz que dizia ” Não somos contra os motoristas da Uber, nós só queremos legalidade!”, Luís diz que os taxistas exigem igualdade para que todos possam trabalhar.

Com a interdição de uma das principais avenidas de São Luís, sobraram reclamações por parte de quem precisou transitar pela região da Beira Mar. A dona de casa Lilian Pereira, acompanhada do filho pequeno, decidiu descer do ônibus e atravessar a ponte do São Francisco a pé para tentar chegar à sua casa localizada na Forquilha.

A comissão que organizou o protesto pretende realizar novas interdições caso não haja acordo com o poder público. A Polícia Militar do Maranhão (PM-MA) e agentes da Secretária Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT) acompanharam a movimentação dos taxistas durante toda a manhã.

Situação 

Após a interdição, o Sindicato dos Taxistas do Maranhão se dirigiu à sede da Prefeitura de São Luís. Em reunião, a prefeitura afirma que colocará em andamento, o quanto antes, os trâmites para a regulamentação do Uber na capital. O sindicato afirma que fará ações semelhantes à de hoje caso o caso fique parado.

Uber em São Luís

Desde que os veículos que trabalham para o aplicativo Uber chegaram a São Luís, em fevereiro deste ano, diversas manifestações já f0ram organizadas por taxistas que não aceitam a concorrência, segundo eles, desleal. O  grande diferencial das corridas oferecidas pelo aplicativo é o preço: os usuários de Uber geralmente alegam dar preferência ao serviço pela rapidez e , principalmente, pelos preços bem mais acessíveis do que os de uma corrida de táxi, por exemplo.

 

MOSTRAR MAIS