Debate

Secretário Carlos Lula defende Saúde em audiência pública

Carlos Lula apresenta relatório de Execução Orçamentária, destaca ações do governo e desagrada deputados da oposição: “Não vamos convencer quem não quer ser convencido”

A presença do secretário de estado da Saúde, Carlos Lula, na Assembleia Legislativa, para participar de uma audiência pública promovida pela Comissão de Saúde da Casa era bastante aguardada tanto pelos deputados da base do governo – que desejavam dar um fim às críticas à gestão da saúde – quanto pelos parlamentares da oposição – que pretendiam “apertar” Lula contra a parede. No fim, a audiência manteve a posição dos dois lados inalterada.

Ao apresentar o Relatório Resumido de Execução Orçamentária relativo ao primeiro quadrimestre (janeiro a abril) de 2017, Carlos Lula fez o que dele se esperava. O secretário defendeu as ações do governo do estado e destacou a melhoria nos serviços de saúde. Fez questão de mostrar o funcionamento e a reestruturação da rede de saúde e comentou sobre programas como Mutirão Mais Saúde, Farmácia Viva, Força Estadual de Saúde e Projeto Ninar.

Durante o debate com os parlamentares, o secretário Carlos Lula destacou o funcionamento de seis hospitais regionais e macrorregionais, que hoje dão cobertura a 156 municípios. Ele frisou também que, desde o início do atual governo, 106 ambulâncias já foram entregues pelo governo do estado.

“Foi um ótimo debate. Faço questão de participar do debate e, infelizmente, não vamos convencer quem não quer ser convencido. Demos todas as explicações. Não há nada de ilegal. O que fizemos foi dar explicação dentro do direito de como é que se faz um aluguel, como se fez a reforma e porque isso é mais benéfico e econômico para a sociedade”, afirmou o secretário sobre os questionamentos dos deputados sobre assistência materno-infantil, sobre o aluguel e reforma da Clínica Eldorado, sobre o Hospital do Servidor, que funciona no bairro Cidade Operária e sobre as obras de expansão do Hospital Carlos Macieira, no Calhau.

Oposição

Se para o secretário de Saúde as explicações foram satisfatórias, para a oposição, os argumentos não foram tão bons assim. A deputada Andrea Murad (PMDB) não escondeu sua insatisfação para com o que ouviu na audiência pública.

“O que ouvimos aqui hoje do secretário Lula foi uma confissão seriada de crimes contra a administração pública que, se continuarem, os prejuízos serão incalculáveis para os maranhenses”, disse a parlamentar.

Apesar das críticas da oposição, Carlos Lula disse que fazia “parte do jogo democrático”. “A deputada Andrea está no seu papel de fazer oposição. Ela simplesmente não aceita as respostas. Infelizmente, a deputada Andrea olha para a saúde com o olhar de um filho que olha para o pai. Mas faz parte do jogo democrático”, rebateu o secretário.

MOSTRAR MAIS