Reforma Política

Lobão defende criação de fundo eleitoral

Senador Edison Lobão defendeu gastos em campanhas eleitorais

Senador Edison Lobão defendeu gastos em campanhas eleitorais

O senador Edison Lobão (PMDB) se manifestou sobre a reforma política de forma, no mínimo, curiosa quando questionado sobre a criação de um fundo de financiamento público de campanhas eleitorais. Lobão, que é presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), demonstrou não se importar muito com a opinião pública, que criticou, veementemente, o chamado “fundão”, que corresponderá a R$ 3,6 bilhões em 2018.
“A opinião pública não vai gostar, mas paciência. Democracia tem custos. Ou se paga por ela ou se parte para a tirania, para a supressão das liberdades. Sem mudança nos custos das campanhas, só virão para cá os candidatos ricos, os astros de cinema e o crime organizado. A lei permite que os candidatos se autofinanciem, gastando até 5% do seu patrimônio no último exercício fiscal”, afirmou Lobão.
Apesar de defender a criação do “fundão”, Lobão não está totalmente de acordo com a reforma política que estava sendo discutida na Câmara. Mesmo assim, o senador reconhece que o Senado Federal está predisposto a aprovar o que for decidido pelos deputados federais.

Reforma política

Ontem, a comissão especial da Câmara, que analisou mudanças constitucionais no sistema eleitoral brasileiro (PEC 77/03), concluiu os trabalhos. Agora, o substitutivo do relator, deputado Vicente Candido (PT-SP), será analisado pelo Plenário – possivelmente na próxima semana, segundo o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia.

MOSTRAR MAIS