Opinião

Leia ‘Coluna Aparte’, por Felipe Klamt

Polêmicas na entrega das casas do programa Minha Casa, Minha Vida, secretários tentando mostrar serviço ao governador, e muito mais. Confira!

Charge por Nuna Neto.

Charge por Nuna Neto.

Polêmica – Causou muitas reações a cordialidade acentuada entre o governador Flávio Dino (PCdoB) e o ministro Sarney Filho (PV) na entrega das casas da Minha Casa, Minha Vida, em Coroatá. Pelas notícias, membros da família do ministro afirmaram que o Zequinha não tem jeito, não vai crescer nunca. Apontam as críticas a irmã mais velha. Na parte do governo, tirando blogueiros, ninguém ousou de achar nada. Somente lembraram do episódio no carnaval quando o folião Dino desceu na avenida na Passarela do Samba para curtir o carnaval ao lado do colunista Pergentino Holanda, do jornal O Estado do Maranhão, que estava sendo homenageado por uma escola de samba.

Tempo vencido – Mesmo sabendo que perdeu a chance de voltar a tentar um novo mandato de senador, tomado pela pré-candidatura de Sarney Filho (PV), o sempre presidente do conselho de ética do Senado, João Alberto (PMDB), continua a serviço do poder. Não bastasse tentar processar as seis senadoras que tomaram de assalto a mesa diretora da câmara alta no protesto contra a reforma trabalhista. Agora, resolveu aceitar a denúncia, por falta de decoro, o senador Lindbergh Farias (PT) que criticou, aos berros, o processo aberto contra as senadoras. Quase saiu tapa, mas, como sempre, o peemedebista deu uma de “João sem braços”.

Lista de Dino – Tem muitos secretários tentando mostrar serviço ao governador Flávio Dino depois da divulgação que pode haver mudanças no staff do governo antes do período eleitoral para os secretários pré-candidatos. Alguns que não serão candidatos também estão com o aviso prévio informado, restando torcer para conseguirem comover o gestor executivo com longos relatórios de suas ações. Parece ser perda de tempo.

Sem chance? – Jornalistas afoitos deixaram a ex-governadora Roseana Sarney numa saia justa com a especulação que seria ministra das Cidades. Consultado pelo pai e conselheiro José Sarney, o presidente Michel Temer teria reagido com surpresa, afirmado, para assessores próximos, que o ex-presidente estava constrangido em tentar botar mais uma filha no seu governo.

Sacadas – Quando não está nas ruas, debaixo do sol e encima do pinche quente asfaltando os bairros e avenidas, o prefeito Edivaldo Holanda (PDT) e a esposa Camila estão apreciando os saraus do projeto “Reviva” e todos os domingos recebendo o povo na “Feirinha de São Luís”, junto com o secretário Ivaldo Rodrigues (PDT), na praça Benedito Leite. Ideias inteligentes de retorno imediato de imagem positiva.

Espertalhões – Povo calado autoriza os políticos aprontarem suas peripécias na reforma política, primeiro inventam o “Distritão”, modelo existente em quatro países lascados, para favorecer as reeleições do profissionais do poder. Para completar aprovaram, sem indicar de onde vem a verba, aprovaram o financiamento de campanha pago pelo povo brasileiro. Algo em torno de R$ 3,6 bilhões. Bem que o ideal seria cada qual guardar a grana do alto salário para garantir o generoso emprego.

Sem lotação – Apesar de avisar que pode fazer o trajeto da oposição na lotação da kombi, o presidente da câmara de São Luís, Astro de Ogum, entende que ainda existe muitas viagens de idas e vindas antes do parlamento pensar em criar um afastamento do poder executivo municipal. Diferente do antecessor, vereador Pereirinha, o vereador Ogum tornou-se o porta-voz político dos vereadores. Avisa com palavras diretas, mas negocia soluções nos bastidores com habilidade e paciência. Capacidade de poucos neste meio conturbado.