Investimento

Cinco orientações para quem quer começar a empreender

O Brasil é um país empreendedor, o grande problema na maioria das empresas é que não há um plano de negócio estabelecido, público alvo e estrutura necessária

Reprodução

Empreender é o sonho de muita gente. E, de fato, somos um país empreendedor. Considerando os dados mais recentes da população brasileira de 18 a 64 anos, de cerca de 130,7 milhões de indivíduos, estima-se que o número de empreendedores é de 45 milhões de indivíduos, divididos igualmente entre iniciais e estabelecidos, segundo dados da PNAD e do relatório GEM Brasil 2014.

As pesquisas também mostram que as taxas de sucesso de quem se prepara (empreendedores por oportunidade) são superiores às de quem não faz isso (empreendedores por necessidade). É preciso entender como funciona o mercado e as condições para ter um negócio de sucesso. Especialistas apontam cinco orientações para quem quer se planejar.

Planejamento do negócio

O grande problema na maioria das empresas abertas é que isso ocorre impulsivamente, e em função disso não há um plano de negócio estabelecido, público alvo e estrutura necessária, assim, antes de qualquer coisa, é necessário sentar e ver o que se pretende e como se objetiva atingir.
Muitas vezes, após essa primeira análise, se percebe a necessidade de uma capacitação e hoje se encontra um grande número de cursos de capacitação para empreendedores, muito desses gratuitos. Também é importante pesquisar como está o mercado em que pretende atuar, para ver em qual nicho de público se encaixará.

Cálculo de custos para começar a funcionar

É preciso que se tenha em mente que para colocar uma empresa para funcionar haverá custos que vão além dos que já se conhece no dia a dia de uma empresa com infraestrutura e pessoal. Dentre esses, os principais são as taxas da Junta Comercial e da emissão do alvará, dentre outras que variam de acordo com a localidade e o ramo de atuação. Para facilitar esse processo, existem profissionais especializados em resolver a burocracia. Para se ter ideia, a Confirp tem uma área que apenas se responsabiliza por isso, tirando do cliente qualquer ‘dor de cabeça’ relacionada ao tema.

Elaboração do contrato social

Para toda empresa funcionar é imprescindível que se elabore um contrato social. É nesse documento que estão relacionados os pontos práticos do funcionamento da empresa. Pontos primordiais que devem englobar são informações como nome, endereço e atividade, capital social (valor ou bens investidos), qual a relação entre os sócios e como se dá a divisão dos lucros.

Importante frisar que qualquer alteração contratual faz com que se tenha que refazer as inscrições federal, estadual e municipal e as licenças. As sociedades limitadas só podem ser alteradas se 75% do capital estiver de acordo. Geralmente, o registro de um contrato social pode ser agilizado procurando o sindicato da categoria da empresa, sendo que o mesmo pode possuir um posto avançado da Junta Comercial. Com isso, todo esse processo pode ser finalizado em até 24 horas.

Opção pelo regime tributário que a empresa seguirá – Hoje são basicamente três os regimes de tributação existentes, Simples, Presumido ou Real. A opção pelo tipo de tributação que a empresa utilizará deve ser feita até o início do próximo ano, mas, as análises devem ser realizadas com antecedência para que se tenha certeza da opção, diminuindo as chances de erros.

Outro ponto é que cada caso deve ser analisado individualmente, evidenciando que não existe um modelo exato para a realização de um planejamento. Apesar de muitos pensarem que melhor tipo de tributação é o Simples, existem até mesmo casos que esse tipo de tributação não é o mais interessante, mesmo que a companhia se enquadre em todas as especificações.

Definição da estrutura física

Além de definir o local onde será o empreendimento, é necessário também que se adquira toda uma estrutura para o funcionamento da empresa, e isso dependerá de cada ramo de atuação, podendo ir desde maquinário até material de escritório.
Sobre o local em que será, é importante que se observe também se esse se adéqua ao público que pretende atingir e, principalmente, diretrizes estabelecidas pelo município referente ao local. Hoje uma ótima opção são espaços de escritórios compartilhados, que reduzem em muito os custos.

Obtenção de registros e licenças

Hoje a burocracia é tanta para empresas que a grande maioria não possui todos os registros e licenças necessários para o funcionamento, no que se configura em um risco jurídico para essas. Dentre os registros necessários, estão o habite-se do imóvel (autorização da prefeitura para que ele possa ser habitado) e as regras de ocupação de solo (cada cidade define regras específicas em leis de zoneamento), alvará de funcionamento, pagamento de taxas de funcionamento, dentre outras licenças necessárias, dependendo da atividade da empresa.

Veja todos os documentos necessários e em quais órgãos buscar

– Junta Comercial: registros dos atos sociais (contrato social, atas de reuniões, deliberações etc).
– Receita Federal: para obtenção de registro do CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica).
– Prefeitura: para obtenção do Alvará de Funcionamento e nota fiscal, caso a empresa seja contribuinte do ISS (Imposto Sobre Serviços).
– Secretaria Estadual da Fazenda: para obtenção de inscrição Estadual.
– Contratação de uma contabilidade – Toda empresa necessita de uma contabilidade para funcionar. Essa que será responsável por estar gerando as informações imprescindíveis para a empresa esteja em dia com os órgãos públicos.
– Também são responsáveis pelo cálculo de impostos e tributos que a empresa deverá pagar, bem como análise da situação contábil da empresa e geração de informações imprescindíveis para a gestão empresarial.
– Processo de contratação de profissionais – Sua empresa terá necessidade de funcionários? Se sim, é necessário abrir processos seletivos para contratação, hoje esse ponto é um dos mais problemáticos para as empresas em função de um crescente apagão de mão de obra que passa o país. Após a contratação, é necessário elaborar o contrato de trabalho, definir salários benefícios, ver qual o melhor regime de trabalho e regularizar o mesmo junto ao INSS.