Saúde

Especialista aponta os cuidados com a ingestão de bebidas energéticas

A ingestão frequente de energéticos pode ser um risco à saúde. A nutricionista Tainara Valério esclarece dúvidas e dá recomendações de uso dessas bebidas

Reprodução

As bebidas energéticas são criadas a partir de uma combinação de ingredientes que proporcionam um efeito nutricional estimulante. Em sua maioria, os energéticos são compostos por cafeína ou guaraná, carboidratos, taurina e vitaminas do complexo B. A interação destas substâncias são capazes de auxiliar na concentração e na velocidade de reação, resistência física, resultados procurados por muitos atletas e praticantes de exercícios diários.

A combinação pode substituir uma xícara de café de 60 ml na quantidade de cafeína presente: são cerca de 90g dessa substância em uma latinha de 250ml de energético.

Contudo, a nutricionista Tainara Valério aponta que os benefícios são momentâneos e que os efeitos a longo prazo são maléficos, podendo provocar quadros de nervosismo, ansiedade, inquietação, insônia, aceleração dos batimentos cardíacos, além de intoxicação por excesso de cafeína e em casos raros, a morte.

Apesar de serem regulamentadas e autorizadas pela Anvisa, o consumo dessas bebidas deve ser controlado e acompanhado por um nutricionista, cujo compreenda as necessidades físicas e energéticas do corpo do paciente. Tainara Valério dá algumas recomendações de uso e desvenda algumas dúvidas relacionadas à essas bebidas.

Quais os benefícios e malefícios que a ingestão de bebidas energéticas pode trazer para o organismo?

Entre os benefícios da ingestão de bebidas energéticas estaria o aumento do desempenho corporal e performance por conta de substancias estimulantes, como a cafeína e a taurina. Contudo os malefícios gerados à saúde por essas bebidas supera seus benefícios. Possuindo grande quantidade de cafeína, açúcar e outros ingredientes estimulantes podem gerar quadros de nervosismo, ansiedade, inquietação, insônia, constipação gastrointestinal, tremores, aceleração cardíaca, agitação psicomotora, chegar até a uma síndrome clínica por intoxicação por excesso de cafeína e em casos raros, a morte.

Energéticos dão mais disposição?

Os energéticos geram mais disposição sim, mas momentânea, por conter altas doses de açúcares causa um pico na glicemia que rapidamente cai, trazendo assim um efeito rebote, causando uma exaustão ainda maior do que antes do consumo do energético.

Que componentes presentes nessas bebidas são úteis para o nosso corpo e em que elas atuam?

Muitos dessas bebidas contêm ingredientes como guaraná, açaí, taurina, ginseng, arnitine, creatina, inositol, ginkgo biloba e outros com efeito estimulante. A cafeína atuando no sistema nervoso central, acelera a cognição, diminuindo a fadiga e aumentando o estado de vigília. Assim como também a taurina, como os demais estimulantes, tem capacidade de melhorar a performance atlética e a mistura dessa substância também pode melhorar o desempenho mental.

Os energéticos possuem vitaminas?

Os energéticos podem ser ou não enriquecidos em sua composição por vitaminas e minerais.

As bebidas energéticas podem ser consumidas durante o exercício? E em outros horários do nosso dia?

As bebidas energéticas não são recomendadas a serem consumidas durante o exercício físico, com exceção de casos específicos, como atletas de alta performance, como exemplo, um corredor de 100 metros rasos. Assim também o consumo em outros horários do dia não seria recomendado pelos malefícios gerados à longo prazo.

E sobre o uso acompanhado de bebidas alcoólicas? Quais os riscos dessa combinação?

A combinação de cafeína e álcool pode causar efeitos adversos, uma vez que a cafeína aumenta a absorção do álcool aumentando o risco de intoxicação. Além dessa mistura afetar diretamente o sistema nervoso central, aumentando a aceleração cardíaca, pode gerar um quadro propenso a tromboses e infarto.

As pessoas, em geral, podem consumir que quantidades de energético?

Um dos principais pontos negativos do consumo de energéticos é o fato de terem grandes quantidades de açúcar, que é responsável por outros problemas de saúde, principalmente para crianças e pessoas com risco de diabetes. Mesmo para individuos normais, e não diabéticos, a ingestão de altas doses de açúcar causa um pico de glicemia e, em seguida, traz uma exaustão ainda maior dentre outros malefícios. Assim também as versões sem açúcar que contêm adoçantes artificiais, continuam a ter substâncias estimulantes e, portanto, não estão isentas de riscos.

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias