queimado em Viana

Mulheres confessam ser mandantes de assassinato em Viana

Raimundo Roberval Belfort Ferreira, de 46 anos, após voltar do ensaio de bumba meu boi, durante a noite, foi abordado por três homens que atearam fogo sobre a vítima. Ele teve 90% do corpo queimado

Foto: Divulgação

O caso do trabalhador Raimundo Roberval Belfort Ferreira, de 46 anos, que foi morto queimado no município de Viana, a 214 km de São Luís, no último domingo (11) foi solucionado pela delegacia regional da cidade. O caso só foi solucionado após a prisão de duas mulheres identificadas como Patricia Elk Costa Fonseca, de 37 anos e Uiratania de Cassia Coelho Nogueira, de 19 anos, que confessaram serem mandantes do crime. Além delas, um quarto envolvido foi preso. Ele foi identificado como Leandro Bruno Matos Marques, de 24 anos.

Segundo o delegado regional Jorge Pacheco as duas seriam um casal e teriam mandado dar uma surra em Raimundo após ele ter passado a mão na bunda Patrícia. “Era uma surra encomendada delas. Porém, os mesmo estavam sobre efeito de drogas e perderam o controle a acabaram ateando fogo na vítima. O caso está solucionado e na próxima semana encaminharemos a justiça”, disse o delegado.

A vítima foi encaminhada para São Luís após o acontecido, porém ela não resistiu aos ferimentos e morreu na manhã da quinta-feira (15). Durante a semana a delegacia regional conseguiu prender cinco homens envolvidos na morte de Raimundo, sendo eles um menor de 17 anos. Os demais foram identificados como , Leandro Bruno Matos Marques, Fábio Adriano Romeu Mendes, Vítor Corrêa de Alcântara e Elielton de Sousa Santos. Todos foram encaminhados para o sistema penitenciário de pedrinhas, onde estarão sobre as medidas da justiça.

Entenda o caso

No dia 11 desse mês um crime bárbaro aconteceu no município Viana, interior do estado. A vítima Raimundo Roberval Belfort Ferreira, de 46 anos, após voltar do ensaio de bumba meu boi, durante a noite, foi abordado por três homens que atearam fogo sobre a vítima. A mesma teve 90% do corpo queimado. Segundo o delegado Jorge Pacheco da 6° Delegacia de Viana antes de atearem fogo eles ainda deram uma paulada na cabeça da vítima, que a deixou desacordada. A vítima ainda foi transferida para São Luís, mas não resistiu e veio a óbito.

MOSTRAR MAIS