Assembleia Legislativa

Frustrada, oposição sugere fechar o parlamento maranhense

Sem conseguir aprovar projetos, deputados oposicionistas demonstram frustração na Alema. Governistas rebatem citando ‘conotação política’ nas críticas da oposição

Deputados Alexandre Almeida, Eduardo Braide e Edilázio Júnior

Minoria na Assembleia Legislativa do Maranhão (Alema), a base oposicionista sofre para aprovar Projetos de Lei (PL) de sua autoria. Na sessão desta terça-feira (21), a frustração de alguns parlamentares com esta situação foi mais uma vez evidenciada.

Durante pronunciamento do deputado Alexandre Almeida (PSD), sobre o veto do governador Flávio Dino (PCdoB) ao Projeto de Lei que batiza o Terminal Rodoviário de São Luís em homenagem ao ex-governador Luiz Rocha, o deputado Eduardo Braide (PMN) chegou a sugerir o fechamento do parlamento maranhense.

“Se esta Casa não puder nem denominar os logradouros públicos através de lei, então vamos fechar a porta do parlamento, porque aí já realmente não se pode mais legislar em nenhuma matéria aqui”, declarou Braide.

Outros deputados, como Edilázio Júnior (PV) e Graça Paz (PSL), também criticaram o veto do governador. “Por que, agora, de um dia para o outro, o governador me inventa essa história de que esta Casa não pode colocar nome em logradouros públicos? Ele é que pode?”, questionou Edilázio Júnior.

Aprovado pelo plenário da Alema, o projeto de autoria do deputado Alexandre Almeida propõe batizar o Terminal Rodoviário de São Luís em homenagem ao ex-governador Luiz Rocha, que ficou no cargo de 1983 a 1987. O ex-governador, morto em 2001, é pai do senador Roberto Rocha (PSD), que foi eleito pela mesma chapa de Dino, mas acabou se tornando um dos críticos mais ferrenhos ao governo do estado.

Conotação política

Este fato levou o deputado Rogério Cafeteira (PSB), que é o líder do governo na Alema, a afirmar que os deputados oposicionistas estavam tentando politizar a situação, querendo incutir no eleitorado maranhense a ideia de que o veto do governador se deu por questões pessoais.

“Eu, particularmente, votei a favor [do projeto] e acho, deputado Alexandre, que deve ser discutida com o governo esta questão, mas eu tenho que lembrar que eu só estou vendo esta indignação, nesse caso, porque sem dúvida existe uma conotação política. Vossa excelência quer sugerir à opinião pública que o governador Flávio Dino teria vetado o nome do governador Luiz Rocha em retaliação ao senador Roberto Rocha, e que hoje tem demonstrado tendência de disputar o governo, e não é nada disso. Foi apenas uma questão de coerência, haja vista que vetos semelhantes vêm sendo realizados desde 2015”, declarou Cafeteira.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS