Mais confusão

Indefinição política prossegue em Bacabal

Posse do prefeito Zé Vieira (PP) e do vice Florêncio Neto (PHS) são consideradas ilegítimas e presidente da Câmara pode assumir Prefeitura de Bacabal

Zé Vieira (PP) toma posse em Bacabal

A incerteza política do município de Bacabal parece não ter fim. Nos próximos dias, há a possibilidade do presidente da Câmara Municipal, Edvan Brandão (PSC) assumir a gestão da cidade.

O imbróglio da vez não envolve batalhas judiciais do prefeito eleito Zé Vieira (PP) e sim envolvendo a própria presidência da Câmara. Ocorre que, no último dia 1º, a Casa realizou duas sessões para eleger os novos componentes da Mesa Diretora.

No plenário, com a presença de uma minoria dos vereadores, César Brito (PPS) foi eleito para a cadeira mor da Câmara, mas em outra sessão em uma sala anexa, Brandão acabou escolhido pela maioria para dirigir o legislativo bacabalense.

Durante o período de indefinição, Brito deu posse a Vieira e ao seu vice Florêncio Neto (PHS) como se fosse o legítimo dirigente da Câmara. Mas horas depois Brandão finalmente foi aclamado como novo presidente e aguardou para empossar, oficialmente, Zé Vieira, o que não aconteceu.

A posse do prefeito e vice-prefeito, feita por César Brito, não foi considerada legítima e o prazo final para tomar posse se expirou na última terça-feira (10). Logo, o grupo liderado por Brandão sustenta a tese de que Bacabal está sem prefeito, o que garantiria a ascensão do presidente da Câmara ao cargo de gestor do município.

Vieira, é importante relembrar, sustenta-se no cargo de prefeito graças a uma liminar expedida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), já que o seu registro de candidatura foi indeferido pela Justiça eleitoral maranhense.

Zé Vieira, através da sua assessoria, preferiu não avançar com a polêmica garantindo, tão somente, que a cerimônia de posse comandada por César Brito foi legítima.

MOSTRAR MAIS