Polêmica na Funac

Flávio Dino responde críticas de jornalista da Globo

Após comentário de Alexandre Garcia sobre instalação de Centro para jovens, o governador fala em má-fé e perseguição ao PCdoB 

Reprodução

A polêmica da instalação da nova unidade da Casa da Juventude, no bairro da Aurora, em São Luís ganhou maiores proporções por conta da repercussão do imóvel ser pertencente a um filiado do PCdoB, partido do Governador Flávio Dino.

O imóvel está servindo para abrigar jovens infratores da Fundação da Criança e do Adolescente (Funac), ligada á Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop).

Após reportagem no “Bom Dia, Brasil”, da Rede Globo, o jornalista Alexandre Garcia ironizou a posição do secretário de Articulação Política e de Comunicação, Márcio Jerry, de que seria coincidência a relação entre o proprietário e o aluguel.

“Deve ser mera coincidência que o locador seja do mesmo partido do Governador como afirmou o presidente do partido. O PCdoB não é um partido tão grande assim que o seu presidente, em São Luís, não conheça seus filiados”, afirmou Garcia durante seu comentário no programa.

A primeira resposta dos maranhenses veio por parte do PCdoB, que informou que não é pequeno como Garcia afirma, tendo cerca de cinco mil filiados apenas em São Luís, justificando o argumento de Jerry.

Em seu Facebook, Flávio Dino respondeu as criticas do jornalista, afirmando não ter ação direta em uma locação de imóvel e que seria muita má fé inferir qualquer atuação dele no processo.

“Só muita má fé ou ignorância para imaginar que uma simples casa foi alugada por uma Fundação do governo por ordem minha. E só muita má fé ou ignorância para imaginar que num processo de locação de imóvel em uma Fundação se faz pesquisa de filiação partidária. Imaginemos em um processo administrativo a realização de tal pesquisa de mera filiação partidária. Seria ilegal e estapafúrdio. Estado tem dezenas de imóveis alugados em todo o Maranhão. No meu governo nunca foi, E NÃO SERÁ, realizada pesquisa de filiação partidária”, afirmou o governador.

O processo de locação do imóvel foi comandado pela Funac, que via uma imobiliária, fechou contrato com o proprietário. O procedimento de escolha não teria qualquer ligação com Dino ou mesmo com Márcio Jerry.

Dino também aproveitou para justificar a acusação como uma perseguição política após os resultados das eleições municipais no Maranhão.

“A verdade é que depois da nossa vitória nas eleições municipais deflagrou-se uma onda de agressões ao nosso Governo, baseada em invenções. Já inventaram: fechamento de UPAs e hospitais; demissão de médicos; aumento de salário do governador etc etc. Tudo mentira, ódios, calúnias. Alguns não aceitam que um governo de um comunista dê certo, após caos sarneysista. Acham “perigoso” e ficam com saudades do CCC e DOI-CODI”, completou.

Por fim, o governador explicou melhor a finalidade da Casa, que tem por objetivo uma melhor ressocialização dos jovens infratores no estado.

“E outros são contra que se tente melhorar situação de adolescentes infratores. Mas tenho dever legal e moral de trabalhar por isso. A verdade é que herdamos Estado caótico em todos os setores. E estamos lutando muito para corrigir problemas. Vamos continuar nesse caminho”, explicou.