Copa do Brasil

De olho em R$ 560 mil, Náutico visita o Jacuipense pela Copa do Brasil

Caso avance à terceira fase da competição, Timbu ainda enfrenta o Flamengo

A Copa do Brasil não faz parte dos objetivos do Náutico. Diante da realidade do clube, a competição está longe de ser encarada como prioridade. Ao menos, no que tange a aspiração ao título. Eliminado precocemente na Copa do Nordeste e no Campeonato Pernambucano, o alvirrubro busca se reforçar para a disputa da Série B do Brasileiro – essa, sim, condizente com seu mundo real. Foram sete contratações visando à segundona e, pelo menos, mais três jogadores devem chegar. Em meio à entressafra, o timbu encara hoje, às 19h30, o Jacuipense, em Riachão do Jacuípe, interior da Bahia. Em disputa, mais do que a vaga na terceira fase da Copa do Brasil, estão os R$ 560 mil de prêmio pela classificação.
Até o momento, o Náutico já faturou R$ 440 mil no torneio. Para um clube que não tem patrocínio master há quase um ano e meio (além da perspectiva negativa de não ter as cotas da Copa do Nordeste em 2016), chegar à terceira fase da Copa do Brasil representaria o faturamento de R$ 1 milhão em premiação. Além disso, na próxima etapa o adversário do vencedor de Náutico x Jacuipense é o Flamengo. Ou seja, a posssibilidade de maior exposição da marca do clube, o que poderia gerar patrocínios pontuais, além de uma renda de bilheteria mais interessante. Nada mal para a combalida situação financeira timbu.
Indo em busca da classificação antecipada ou não, Lisca confirma que seu time vai manter a mesma postura ofensiva adotada diante do Brasília, na fase anterior da competição. “Temos de ter a postura parecida com o que jogamos contra o Brasília na Arena Pernambuco. Não tão acuados”, estabeleceu. O técnico, entretanto, promove uma alteração no ataque. Josimar atua no lugar de Stéfano Yuri. De acordo com o comandante alvirrubro, uma opção tática. “Eles são jogadores um pouco diferentes. Enquanto Stéfano Yuri se movimenta mais, Josimar é mais fixo”, justificou.
Quem time é o Jacuipense?
O time da cidade de Riachão do Jacuípe, a 186 km de distância de Salvador, disputa a Copa do Brasil pela primeira vez em sua história. Em sua estreia, perdeu em seu estádio Eliel Martins para o Paraná: 1 a 0. Na partida de volta, venceu pelo mesmo resultado e assegurou a histórica classificação para enfrentar o Náutico nos pênaltis. Embora tenha elogiado o Náutico “um time de qualidade”, o técnico do Jacuipense, Clebson Araújo, garante que sua equipe tem como intuito vir ao Recife. “Estudamos a equipe do Náutico. Temos que ter o máximo de atenção. Vamos buscar levar a decisão para o jogo de volta”, declarou.
Ficha do Jogo
Náutico
Júlio César; Guilherme, Niel, Diego e Gastón Filgueira; Marino, João Ananias, Bruno Alves e Patrick Vieira; Renato e Josimar. Técnico: Lisca.
Jacuipense
Pezão; Dimas, Luciano, Uesles e Bruno; Thiago Lima, Ananias, Edcarlos e Maxwell; Nadson e Marclei. Técnico: Clebson Araújo.
Local: Estádio Eliel Martins (Riachão do Jacuípe-BA). Horário: 19h30. Árbitro: Cleisson Veloso Pereira (MG). Assistentes: Marconi Helbert Vieira e Wesley Moreira de Carvalho (ambos de MG)
VER COMENTÁRIOS
MOSTRAR MAIS