CORONAVÍRUS

No Maranhão

4193
78115
57370
1943
COMIDA A QUEM TEM FOME

Corrente do bem leva alimentação de graça à população mais vulnerável em São Luís

Projeto idealizado por um amante da gastronomia surgiu durante a pandemia para ajudar pessoas em situação de rua e quem passa fome

Já foram entregues mais de 1.700 refeições e 585 lanches

Adoecer já é um problema, mas adoecer e passar fome é terrível. É exatamente essa a angústia de milhares de pessoas que vivem em situação de rua ou, quando muito, até têm abrigo, mas não têm o que comer. A população carente é uma das mais atingidas pelo avanço da pandemia do novo coronavírus. Diante desse cenário, um carioca que já mora no Maranhão há muitos anos resolveu reunir amor à gastronomia e boa comida com a vontade de ajudar quem precisa; hoje, distribui refeições gratuitas em pontos estratégicos da capital maranhense.

O empresário Filipe Pantoja conta que foi tomado por uma inquietação e sentiu a necessidade de ajudar essas pessoas onde vive. Foi, então, que ele decidiu, no início do mês de maio, iniciar por conta própria a entrega de 20 refeições por dia. Após a primeira entrega, Filipe percebeu que a quantidade não seria suficiente e começou a compartilhar a ideia nas redes sociais, o que o levou a conseguir, em pouco tempo, o apoio de diversos amigos com doações.

“A ideia a gente teve no período de lockdown [bloqueio total], quando não tinha ninguém na rua, e essas pessoas que sempre tinham o auxílio de outras no dia a dia ficaram abandonadas, foi quando pensei que tinha que fazer alguma coisa. A gente só atende pessoas em situação de rua, porque sabemos que muitas vezes elas não têm documentos e não recebem nenhum apoio. Não adiantava também entregar comida ou cesta básica, tínhamos que entregar a comida pronta, porque eles não têm condições de fazer nada na rua”, detalha Filipe.

Uma ideia e várias correntes de apoio

Filipe Pantoja (esqu.) e o chefe Luciano Rosa que doou refeições

A ideia caiu tão bem aos olhos de quem acompanhava as postagens de Filipe que, apenas dois dias depois da primeira entrega, ele já conseguiu fazer uma quantidade cada vez maior de quentinhas e passou a contar com o apoio de amigos que auxiliam no preparo de toda a comida, além de chefs de restaurantes da cidade.

Um exemplo desse reforço na cozinha é o Antônio Farias Júnior, que por algumas horas deixa o design de lado e se torna cozinheiro. Ele, que já atua em projetos sociais como o “Cores da Vila”, desenvolvido na região do bairro Vila Embratel, quando soube da iniciativa por meio do WhatsApp, não pensou duas vezes e se dispôs a colaborar. “Minha colaboração a maior parte do tempo é na cozinha. Seja comandando a execução do menu do dia ou auxiliando os chefs que se dispõem a participar conosco. Também participo do rodízio de quem vai pra rua fazer as doações durante a semana”, ressalta o designer.

John Barros, publicitário, encontrou na ideia a oportunidade de executar uma vontade que ele já tinha sentido nesse momento de crise, mas até então não tinha meios para colocar em prática. “Está ruim para todo mundo, mas tem gente em situação bem pior. Além da pandemia que enfrentamos hoje, existe outro tipo de pandemia bem pior que elas enfrentam todo o tempo, que é a violência, preconceito, discriminação social e falta de interesse público para ajudar a mudar a vida dessas pessoas. O que fazemos é muito pouco! Se estamos nesse mundo para não se importar com os outros e contribuir, nós somos apenas um peso morto. Precisamos deixar algo para que se torne uma mensagem de impacto positivo, é mais do que a minha obrigação”, defende John.

Doações e apoio que fazem acontecer

Desde que o projeto iniciou, já foram entregues mais de 1.700 refeições e 580 lanches, sempre de segunda a sexta-feira. Os pontos de entrega ficam em locais onde foram identificadas presenças de pessoas com necessidades, como na região do Mercado Central e próximo à feira no bairro do João Paulo. 

Já teve, inclusive, a colaboração de algumas hamburguerias da cidade, que desafiaram umas às outras a destinar uma parte da produção diária para doação; os hambúrgueres se tornaram o lanche e jantar das pessoas em situação de rua. Uma empresa doa todos dias copos de água mineral e, em menos de um mês, a iniciativa de doar refeições acabou alavancando outras ações, como a entrega de cadeira de rodas para uma deficiente que vive na rua, distribuição de kits de higiene e até mesmo roupas.

Os voluntários ajudam de diversas maneiras; a iniciativa tem recebido apoio de pessoas e empresas, indo desde a doação em dinheiro até produtos alimentícios e embalagens. O empresário Mauro, por exemplo, foi um dos primeiros apoiadores da iniciativa, assim que ficou sabendo os planos do Filipe por meio das redes sociais. Mauro tem uma distribuidora de alimentos e, no segundo dia de campanha, doou vários produtos para o preparo das refeições. Ele, que também ajuda a instituição de crianças carentes no Centro Anil Alto Pinho, sente-se grato em colaborar.

“É uma sensação muito boa, movida por um sentimento espontâneo de querer ajudar. Este sentimento é algo que todos deveríamos ter. E a doação pode ser feita de várias formas, incluindo tempo, experiência, conhecimento, então é algo que todos podemos fazer. Acredito muito nesse sentimento. É uma recompensa da vida, é muito reconfortante para nossa alma e coração”, opina Mauro.

Além de mudar a rotina de várias pessoas diariamente entregando refeições quentinhas e frescas, que para muitos é a única alimentação do dia, Filipe também mudou, após passar por uma fase de desânimo nos negócios e agora receber doses diárias de gratidão. “Eu estava há um mês parado em casa e isso me deu ânimo e motivação para minha vida. Eu sempre digo que a gente leva muito mais que alimento, a gente leva a esperança de dias melhores. Hoje, eu não tenho mais insônia e percebi que os meus problemas não são nada se forem comparados aos dessas pessoas” reflete Pantoja. 

Quem quiser ajudar só precisa se apresentar e dizer como pode ser útil: com contribuição financeira, com doação de produtos alimentícios ou, até mesmo, com uma mãozinha na preparação dos pratos e na entrega. No Instagram, está disponível o link que hoje é o principal meio de divulgação das atividades feitas pelo grupo. Para mais informações: (98)98902-5019.

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Notícia Boa
Checamos
Polícia
Gastronomia
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias