Viralizou

Internautas fazem campanha para tirar Supermercados Maciel da crise

Neste final de semana ganhou força nas redes sociais uma campanha para ajudar o Grupo Maciel a sair da crise que atravessa.

Se há 10 anos, o empresário Raimundo Nonato Coelho Maciel comemorava o título de Empresário do Ano 2009 (pela Associação Comercial do Maranhão), hoje ele tenta reviver esse título de bom empresário mas de outra forma, para tentar salvar sua empresa que desce a ladeira em uma crise sem precedentes.

A empresa de Raimundo Nonato é o Grupo Maciel. A rede já chegou a ter nove lojas na região metropolitana de São Luís, hoje luta para não fechar mais uma ou todas, como já aconteceu com Supermercado Maciel do Turu. A história do Maciel começou em 1981, mas esta reportagem inicia pelo presente momento.

Veja Também

Neste final de semana ganhou força nas redes sociais uma campanha para ajudar o Grupo Maciel de sair da crise que atravessa. Sem fechar, mas sem ter produtos para oferecer, a empresa passa por dificuldades por honrar seus compromissos com seus funcionários. Em vídeo que circula nas redes sociais é possível ver a conversa entre o proprietário do grupo e parte dos funcionários na frente de uma loja.

Na ocasião, o empresário Raimundo Nonato pede paciência dos funcionários e recorre a pedir ajuda deles para tirar o supermercado da crise em que atravessa. Segundo ele tem duas opções: “Vou trabalhar agora para pagar o décimo terceiro de vocês que eu não tenho. Ou vocês querem pra ser assim, pra gente tentar recuperar a empresa… Ou vocês querem que eu feche todas as lojas e a gente vai pra Justiça para resolver sei lá quando (…)”.

Uma funcionária não identificada também fala no vídeo viralizado. “Todo mundo aqui está ciente da situação da empresa. Então, há possibilidade (…) de um prazo ‘X’ pra gente… Quando o senhor tem possibilidade de pagar o restante do nosso salário, é isso que a gente quer saber…”, sugere a funcionária.

Campanha na Internet

Circula no WhatsApp e em outras redes sociais, uma campanha para ajudar os Supermercados Maciel, com a hashtag #FicaMaciel, os textos são de apoio para a permanência do Maciel no mercado local. Um dos motivos apontados pelo movimento, até então espontâneo, é que a concorrência não pode acabar.

Através do Instagram, o empresário Julian Rocha também levantou a bandeira a favor da sobrevivência do Maciel. “Sou empresário, empreendedor, já passei por uma falência. É um dos piores momentos, fico triste ao ver empresas, indústrias, negócios de qualquer área que seja fechando as portas, carregamos conosco um peso de uma carga tributária covarde, impostos em cascata…”, desabafou.

Junto com a legenda, a publicação contou com uma imagem que continha o seguinte texto: “Faça suas compras no Supermercado Maciel e ajude-o a sair da falência”, mas os próprios internautas alegam que esse tipo de ajuda é inviável por parte do consumidor, haja vista que as lojas da rede varejista seguem esvaziadas sem variedades de produtos e muitas vezes sem opção nenhuma de determinado produto, como é o caso do setor de carnes, frangos e frios.

Breve história do Maciel

O início da empresa foi ainda no ano de 1981, com a empresa Maciel e Filho Ltda, logo em seguida dando espaço para o Atacadão Maciel. Já em 1996, a empresa a primeira loja do Supermercado Maciel, no bairro da Cohama e a expansão do grupo continuou no ano de 2001 com lojas no Bequimão e Cohajap, como dito anteriormente, a Rede Varejista chegou a contar com nove lojas na Ilha de São Luís.

Há 10 anos, o empresário Raimundo Nonato Coelho Maciel recebeu da Associação Comercial do Maranhão, o título de Empresário do Ano 2009. Com 32% dos votos, Raimundo Maciel se tornou o empresário mais notável daquele ano. O Grupo Maciel naquele ano já havia ganhado pela quinta vez consecutiva o título “Carrinho de Ouro”, dado pela Associação Maranhense de Supermercados (Amasp) que premia os melhores do ramo de Supermercados.

No ano de 2009 foi o marco também do início da construção do Centro de Distribuição do Grupo Maciel, localizado no Distrito Industrial de São Luís que chegou a gerar centenas de empregos. Aliás, foi neste Centro de Distribuição que a empresa foi golpeada por uma fraude que desviou uma quantia milionária do Grupo Maciel. No ano de 2013, uma diretora do Centro de Distribuição foi acusada e presa por desviar da empresa a vultosa de R$ 7 milhões.

Hoje entre mudanças no mercado, crise nacional e dificuldades financeiras, o Grupo Maciel atravessa seu pior momento. Clientes e ex-clientes utilizam a Internet para uma campanha de conscientização de consumo na rede varejista para ajudar não só o empresário pagar os salários atrasados de seus funcionários, mas de uma tentativa de reerguer a empresa.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS