CARNAVAL

A resistência do Fofão: o ícone do carnaval maranhense

Símbolo do carnaval de rua maranhense, o brincalhão e ao mesmo tempo espalhafatoso e assustador fofão é tradição viva da folia momesca

Reprodução

Dos mais tradicionais personagens do carnaval de rua do Maranhão, o fofão pode até não ser atualmente o mais visto, mas há quem lute para que ele não caia no esquecimento.

Seja por meio de oficinas, de exposições, de cortejos, ou de cordão de fofão (vestidos a caráter), esse símbolo ainda pode ser visto por aí. E a sua simbologia ainda resiste.

Durante o pré-carnaval o grupo Ulá-lá Fofão, do bairro Bom Milagre, sai às ruas à procura de festa.

Com vestimenta bem tradicional: roupa de chitão, máscara de papel machê (técnica que usa cola, jornal e tinta), guizos, luvas,  boneca na mão, varinha para espantar os cachorros e muita alegria, o grupo liderado pelo empresário Elton Alves tenta manter vida a tradição.

Há 3 anos o empresário decidiu que ia sair às ruas de fofão e não deixar o personagem do autêntico carnaval de rua morrer. “Faz parte da minha história. Eu brincava quando criança e sempre gostei. Comecei saindo sozinho, depois veio filhos, irmãos, parentes, amigos, e, quando dá para reunir todo mundo, ficamos em torno de 15 pessoas. Vale destacar que o grupo é bem tradicional mesmo. O fofão feito como antigamente. Só participa do nosso grupo quem está de máscara de papel machê, chitão, não entra nada que seja de produto industrializado”, diz.

O grupo costuma ir para a Madre Deus, Monte Castelo, Feirinha de São Luís, onde tem festa, e sempre de dia. “Porque a tradição do fofão era brincar no pré-carnaval. E é o que a gente faz porque, ao longo do tempo, isso foi se perdendo. O fofão é o ícone, é o personagem maior e quero mostrar para meus filhos, resgatar mesmo essa história.  Saímos de dia por algumas razões, por estarmos de máscara, e também porque no grupo tem criança, então, a gente evita”, aponta.

Figura típica

Com máscaras feitas de papelão, pano ou papel machê, as mais feias possíveis, os fofões, como o próprio nome sugere, vestem largos macacões confeccionados com tecido estampado, com guizos nas extremidades da gola, das mangas e das pernas. Sozinho ou em grupo, o fofão, com seu grito: “Ulá!, Lá!”, sua boneca, que entrega às pessoas para que dê algum dinheiro, e sua varinha, para espantar os cachorros, foi a alegria e o terror de muitas crianças nos carnavais maranhenses. Quem pegar nas bonequinhas que eles carregam consigo acaba tendo que pagar algum trocado, senão fica sendo perseguido até acabar.

VER COMENTÁRIOS
CONTINUAR LENDO
MOSTRAR MAIS