NOVIDADE

Aplicativos de conversas secretas ameaçam WhatsApp

As ferramentas incluídas no Tellonym permitem bloquear usuários para que não seja mais possível enviar mensagens

Reprodução

Receber pornografia repassada pelos colegas da faculdade no meio de uma reunião de trabalho, abrir uma mensagem com o famoso gemidão em pleno almoço de família ou mesmo se arrepender de ter enviado uma mensagem para o grupo errado são apenas alguns dos constrangimentos que têm levado muita gente a evitar o uso do WhatsApp nos últimos tempos. Esse movimento, cada vez mais intenso em todo o mundo, tem feito surgir algumas alternativas mais discretas, como o Secret, o F3, Curious Cat e o Sarahah, retirado do ar no ano passado. Mas nenhum deles tem tido tanta procura quanto o Tellonym, um aplicativo de perguntas e respostas anônimas que possibilita a troca de mensagens para os contatos, sem revelar a identidade de quem enviou o texto. “Nossa proposta é oferecer o que há de melhor nos aplicativos de diálogos, sem que haja o desconforto da exposição excessiva”, disse o alemão Maximilian Rellin, fundador da empresa em encontro com potenciais investidores na última semana. Com menos de dois anos de existência, a empresa alcançou a marca de 600 mil downloads no mês passado.

O grande segredo do sucesso do Tellonym é a privacidade. As ferramentas incluídas no app permitem bloquear usuários para que não seja mais possível enviar mensagens, ver suas respostas, seguir você e ver se você está on-line. Além disso, é possível escolher apenas receber comentários de pessoas cadastradas no app para saber a sua identidade. E mais: a plataforma garante total anonimato de quem envia. A pessoa que recebe a pergunta de forma privada também pode optar por não responder. Assim, o diálogo não é disseminado nem corre o risco de ser replicado em feed do Facebook ou outras redes sociais. A plataforma, em alemão e inglês, roda tanto em Android quanto em iOS, do iPhone. “A segurança e a privacidade são as maiores preocupações dos usuários, atualmente”, afirmou Joe Greenwood, da empresa de segurança da consultoria britânica 4armed. “Tecnologias simples já conseguem invadir download de arquivos, áudios de microfones, imagens de webcam, ver sites visitados e interceptar chamadas.”
Na prática, o Tellonym funciona de forma simples. Depois de se cadastrar, o usuário decide se revela ou não sua identidade. Se ele quiser enviar mensagem sem ser identificado, não conseguirá ser reconhecido nem por hackers. O destinatário recebe a pergunta de forma privada, como em um chat com duas pessoas. Outra ferramenta é possibilidade de encontrar pessoas por filtros como gênero, idade e localização. Nessa opção, é possível encontrar pessoas que estejam próximas de onde se está. Aqueles que não se importam com tanta privacidade assim, podem compartilhar posts no Instagram Stories e integrar o seu perfil a outras redes sociais: Twitter, Instagram, Facebook, Snapchat ou mesmo no WhatsApp.

Inapropriado

Um dos recursos do app possibilita filtrar as mensagens e apagar, em definitivo, qualquer conteúdo que for considerado inapropriado. Os clientes podem customizar o nível que desejam para o diálogo como “muito baixo” ou “muito alto”. Há também a possibilidade de acrescentar expressões e termos específicos ao filtro, como palavrões e ofensas, e deixar de receber mensagens com esse tipo de conteúdo. O Tellonym oferece a opção de bloquear de forma anônima. Dessa forma, o usuário não pode mais enviar mensagens e ele não sabe que você o bloqueou. Outra ferramenta de segurança é escolher por receber apenas conversas de usuários devidamente cadastrados no app. Ele também possibilita que o usuário envie perguntas sem estar registrado no aplicativo. E, por fim, o titular do aplicativo pode reportar mensagens, respostas e perfis inadequados para os moderadores do app — que tendem a analisar se cabe ou não o bloqueio permanente da conta.

VER COMENTÁRIOS
MOSTRAR MAIS