CELEBRAÇÃO

Inicia hoje o novenário de São Sebastião

Comunidade do Cruzeiro do Anil festeja os 91 anos do padroeiro do bairro. Evento segue com as orientações de prevenção à covid-19.

(Foto: Reprodução)

Janeiro é mês de festa para os devotos de São Sebastião. Com o tema “São Sebastião nos convida a falar de Jesus com Sabedoria e Amor” e o lema “Vinde meus filhos, ouvi-me: eu vos ensinarei o temor do Senhor”, a Comunidade do Cruzeiro do Anil celebra os 91 anos de festejo do padroeiro e propõe aos fiéis experimentar a graça que vem do amor de Deus e aprofundar a fé em Jesus Cristo, inspirados na vida de São Sebastião.

A programação festiva iniciou no último domingo com a carreata de abertura pelos bairros adjacentes da comunidade. O novenário começa neste dia 11 e se estende até 20 de janeiro, quando se celebra o dia de São Sebastião.

Padres de diversas paróquias farão celebrações no festejo. Nesta terça-feira, 11, quem preside a celebração é o Frei Pablo Portilho (pároco da Paróquia Nossa Senhora da Conceição/Anil). Amanhã, 12, o  Padre Ribamar Nascimento (pároco da Paróquia do Espírito Santo/Liberdade) celebrará a missa.

Toda a programação litúrgica do festejo será realizada dentro da igreja no período de 11 a 19 de janeiro. Este ano haverá alvorada, às 6h, novena com ladainha e terço, às 18h e missas, às 19h30. No dia 15 de janeiro haverá batizado, às 19h30, durante a novena. A festa em honra a São Sebastião que é modelo de coragem, lealdade e fidelidade a Cristo seguirá todas as orientações obrigatórias (uso de máscara, álcool em gel, e distanciamento social) devido à pandemia.

“Mais um ano de festejo, e mais um ano com restrições, mais um ano com pandemia, mas o senhor Deus nos dá a graça de mais uma vez contemplarmos a sua face através do nosso padroeiro. É com o coração cheio de alegria e entusiasmo que nós começamos o nosso novenário, com celebrações diárias. É um momento de muito cuidado por conta da pandemia e também agora a gripe que está nos afligindo, por isso, seguimos todas as normas, todos protocolos de segurança para a gente poder fazer um belíssimo festejo”,  disse André Lopes, coordenador da Pastoral da Comunicação da Comunidade São Sebastião do Cruzeiro do Anil.

As celebrações serão transmitidas pelos Instagram @igsaosebastiao10 e pelo canal do Youtube Igreja São Sebastião do Cruzeiro do Anil.

No grande Dia do Padroeiro, 20 de janeiro, haverá missa festiva, às 7h30, seguida do tradicional café fraterno e missa solene, às 17h30. Em 2022, a Comunidade realizará mais uma vez, a carreata de encerramento do festejo pelas principais ruas do bairro Cruzeiro do Anil, logo após a missa solene.

Corrida – Devido ao aumento dos casos de covid19 e a incidência de outras síndromes respiratórias, a 3ª Corrida de São Sebastião, que seria realizada no dia 16 de janeiro, está suspensa. Segundo a organização, o cancelamento da corrida visa preservar a saúde de todas as pessoas envolvidas direta ou indiretamente na competição.

Santo defensor da Igreja e da fé

(Foto: Reprodução)

São Sebastião nasceu em Narbona, uma cidade ao Sul da França, no século III. Era filho de uma família ilustre. Ficou órfão do pai ainda menino, e então, foi levado para Milão por sua mãe, onde passou os primeiros anos da infância e juventude.

Ingressou no exército imperial, atingindo os mais altos graus da hierarquia militar. Ocupou o posto de Comandante do Primeiro Tribunal da Guarda Pretoriana, durante o reinado de Diocleciano, um dos mais severos imperadores romanos. 

“Foi denunciado ao Imperador como sendo cristão. Mesmo sendo um bom soldado romano, suas atitudes demonstravam sua fé cristã, e, diante de todos, confessou bravamente sua convicção. Foi acusado, então, de traição. Na época, o imperador tinha abolido os direitos civis dos cristãos. Por não aceitar renunciar a Cristo, São Sebastião foi condenado à morte, sendo amarrado a um tronco de árvore e flechado. Porém, não morreu ali. Foi encontrado vivo por uma mulher cristã piedosa que tinha vindo buscar o seu corpo. Diante do ocorrido, recuperada a saúde, apresentou-se diante do Imperador e reafirmou sua convicção cristã. E nova sentença de morte veio sobre ele: foi condenado ao martírio no Circo. Sebastião foi executado, então, com pauladas e boladas de chumbo, sendo açoitado até a morte e jogado nos esgotos perto do Arco de Constantino. Era 20 de janeiro”, diz um texto do Cardeal Orani João Tempesta, na página oficial da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil.

O corpo de Sebastião foi resgatado e levado para as catacumbas romanas com grande honra e piedade. 

Sua fama se espalhou rapidamente. Suas relíquias repousam sobre a Basílica de São Sebastião, na via Apia, em Roma. O Papa Caio escolheu-o como defensor da Igreja e da fé.

VER COMENTÁRIOS
Esportes
Entretenimento e Cultura
Concursos e Emprego
Polícia
Mais Notícias