CORONAVÍRUS

No Maranhão

7936
193170
185533
4296

ELEIÇÕES 2020 Veja mais

LANÇAMENTO NO FANTÁSTICO

Gravação de clipe na Praça Maria Aragão promove combate a fome

Cerca de 500 pessoas entre estudantes, entusiastas e profissionais de dança da capital e do interior do estado participam domingo da gravação de um videoclipe contra a fome

Reprodução

“O Brasil tem fome de ética e passa fome em consequência da falta de ética na política”. Esta é uma das frases do sociólogo Herbert de Souza, conhecido carinhosamente como Betinho que introduziu na agenda nacional o debate sobre as mazelas da miséria e da fome do povo brasileiro no início dos anos de 1990.  Conhecido pelo seu ativismo contra a Fome e pelos Direitos Humanos, Betinho fazia questão de ressaltar que: “Só a participação cidadã é capaz de mudar o país”, referindo-se na época sobre a situação alimentar de 32 milhões de brasileiros que viviam em situação de miséria.  “É um absurdo um país com tanta terra ociosa assistir sua população vegetar na periferia das grandes cidades”, afirmava o sociólogo.

Como forma de chamar a atenção da sociedade brasileira e dos poderes constituídos para a questão da fome no país, aproximadamente 500 pessoas de São Luís participam neste domingo (25) a partir das 15h da gravação do videoclipe na praça Maria Aragão do “Projeto Samba dança contra a fome” que será lançado no programa “Fantástico” da Rede Globo. A produção contará com a participação de diversos estudantes, entusiastas e profissionais de dança da capital e do interior do estado.

De acordo com Dida Maranhão coordenadora estadual do projeto, “Samba-Dança Contra Fome”, o objetivo da ação é, através das performances, sensibilizar as pessoas a doarem alimentos e dinheiro para a campanha nacional que será lançada até o final do ano.  Dida Maranhão acrescentou ainda que o projeto faz parte da ”Ação Natal Sem Fome”, projeto criado em 1994 pela ONG do Rio de Janeiro Ação da cidadania, que, pela primeira vez, está realizando uma das edições do projeto em parceria com a Companhia Aérea de Dança, que é dirigida e liderada por João Carlos Ramos. Ao longo dos anos, a iniciativa já ajudou milhões de pessoas a terem um natal digno.

Dida Maranhão explicou que convocou as pessoas por meio das redes sociais, convidando amigos e pessoas solidários à causa para abraçarem este projeto voluntariamente para a gravação do videoclipe. A produtora acrescentou ainda que  por conta da pandemia do novo coronavírus, o uso de mascaras e álcool gel será obrigatório e o distanciamento social será posto em prática para impedir que as pessoas fiquem perto uma das outras. Também foi solicitada segurança para a Prefeitura de São Luís, com o objetivo de impedir que as pessoas que estiverem assistindo e que estejam sem máscara não se aproximem.

10,3 mi sem acesso regular à alimentação básica

Dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em setembro deste ano, apontam que a fome voltou a se alastrar pelo Brasil, depois de recuar em mais da metade em uma década. Segundo, o IBGE em cinco anos, aumentou em cerca de 3 milhões o número de pessoas sem acesso regular à alimentação básica, chegando a, pelo menos, cerca de 10,3 milhões o contingente nesta situação

O levantamento foi feito entre junho de 2017 e julho de 2018 e apontou piora na alimentação das famílias brasileiras. Entram na conta somente os moradores em domicílios permanentes, ou seja, estão excluídas do levantamento as pessoas em situação de rua, o que poderia aumentar ainda mais o rastro da fome pelo país.

Os índices sociais no Maranhão não são bons, uma vez que a FGV (Fundação Getulio Vargas) aponta que, das dez cidades mais pobres do país, oito estão localizadas em território maranhense. Além disso, pesquisa do IBGE aponta que o estado é o maior em insegurança alimentar no país, com 62,2% dos seus lares passando por essa situação. E para refletirmos sobre a campanha contra a fome no país, O Imparcial escolheu esta frase de Betinho para nossos leitores:

 “Um país não muda pela sua economia, sua política e nem mesmo sua ciência; muda sim pela sua cultura”

 

 

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Gastronomia
Entretenimento e Cultura
Esportes
Polícia
Mais Notícias