CORONAVÍRUS

No Maranhão

3897
180560
173757
3914
LITERATURA

A história da capoeira no Maranhão é contada em livro

Roberto Augusto A. Pereira, que é capoeira e doutorando em História Comparada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), fez um mergulho da prática no estado

Reprodução

Integrante do patrimônio cultural do povo brasileiro, legado histórico de sua formação e colonização, fruto do encontro das culturas indígena, portuguesa e africana, devendo ser protegida e incentivada, a capoeira se espalhou por diversas regiões do país, e no Maranhão por muitos anos ficou conhecida como ‘capoeiragem’, por alguns praticantes no início do século XX.

E um pouco dessa história está sendo contada no livro: “A Capoeira do Maranhão: entre as décadas de 1870 e 1930”, que será lançado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), segunda-feira (3), em evento transmitido ao vivo às 16h pela internet no canal oficial do Iphan. A publicação resulta de ação da salvaguarda da capoeira no Maranhão, a partir do trabalho realizado pelo autor Roberto Augusto A. Pereira, que é capoeira e doutorando em História Comparada pela UFRJ.

O autor faz um percurso no tempo passado, recortando um período específico da capoeira no Maranhão, sobretudo no ambiente urbano da cidade de São Luís (MA), cujas histórias revelam fatos, personagens, trajetórias, experiências e relações sociais, que a torna um dos símbolos da diversidade cultural brasileira. O livro amplia o conhecimento sobre o bem cultural, trazendo à tona não só os momentos de origem da capoeira no estado, desde as maltas de moleques aos marinheiros capoeiristas. A publicação também dá visibilidade às diferentes categorias sociais atribuídas a quem era identificado à capoeiragem, revelando a presença de mulheres nas primeiras formações.

Fruto de ação prevista no Plano de Salvaguarda da Capoeira do Maranhão, a publicação é a primeira de uma série prevista para a divulgação da história da capoeira, intitulada Cadernos de Capoeira no Maranhão. Nesse primeiro volume, são reconstruídos momentos chave para o entendimento da gênese da capoeira em terras maranhenses. Esta iniciativa possibilitará a divulgação da história de seus detentores à sociedade em geral, contribuindo para aumentar e qualificar o conhecimento sobre este bem cultural diante dos poucos registros bibliográficos existentes.

Com a proposta de promover e divulgar a prática no Maranhão, o livro também mostra a formação e desenvolvimento da capoeira, além de reforçar e evidenciá-la como um bem cultural presente na construção histórica e identitária no estado.

A Superintendência do Iphan-MA vem atuando com os capoeiristas na sua mobilização e na implantação de ações de salvaguarda desde 2014, com o objetivo de alcançar um número cada vez maior de detentores, realizar fóruns e encontros propícios à discussão das demandas no estado. Atualmente, o Iphan tem atuado na Pesquisa e Mapeamento da Capoeira na Mesorregião Norte do Maranhão, para mapear e conhecer melhor os grupos existentes no território.

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Gastronomia
Entretenimento e Cultura
Esportes
Polícia
Mais Notícias