CORONAVÍRUS

No Maranhão

1303
64735
39386
1570
NETFLIX

Atriz maranhense participa da série O Escolhido

Série brasileira de televisão, original da Netflix, de drama e suspense, baseada na série mexicana Niño Santo, conta com a participação da maranhense Ayana Duailibe

Reprodução

A atriz mirim do Maranhão, Ayana Duailibe Noleto Chaves, de 13 anos, integra o elenco da segunda temporada da série O Escolhido da Netflix Brasil, que estreou com novos episódios em novembro de 2019. O Escolhido é uma série de televisão de drama e suspense brasileira original Netflix, baseada na série mexicana Niño Santo, adaptada por Raphael Draccon e Carolina Munhoz.

Na trama, o escolhido segue três jovens médicos que viajam para uma aldeia no Pantanal para vacinar os moradores contra uma nova mutação do vírus Zika. Eles acabam presos nesta comunidade cheia de segredos e cujos moradores são devotos de um misterioso líder, que tem o dom de curar doenças de uma forma sobrenatural.


De férias em São Luís, a atriz que nasceu em Paço do Lumiar e está morando atualmente na cidade de Palmas, no Tocantins, revelou a O Imparcial como foi a experiência de contracenar com atores consagrados como Paloma Bernardi que interpreta (Lúcia) e Gutto Szuster (Enzo) e o escolhido, Renan Tenca que é capaz de curar pessoas.


Ayana Duailibe Noleto Chaves, que interpreta a personagem Paloma, contou que soube do teste para a série por meio de uma amiga de sua amiga, e perguntou se ela queria participar.

Ao dizer que sim, sua mãe fez a inscrição e não demorou muito vir a confirmação. “O teste aconteceu em um sábado de manhã, só que nesse mesmo dia eu tinha um simulado da escola para fazer que começava às 8h e o teste estava marcado para as 10h. Eu demorei uma hora para fazer o simulado. Cheguei ao teste atrasada e toda desarrumada. Minha falou com o diretor o motivo do atraso e ele autorizou que eu fizesse, mas foi logo dizendo que eu tinha perdido um workshop antes.

Eu não sabia para onde eu ia. Em que câmera eu deveria me posicionar. Fui na intuição. Perdi a parte técnica. Fui a penúltima a fazer o teste. Quando foi a minha vez eles tiraram meu óculos. Só que eu fico confusa quando estou sem óculos. Não enxergava nada e fico até com vergonha. Fiquei meio travada, mas repeti o texto que eles queriam. Quando acabou eu falei para minha mãe: “Mãe acho que não vou passar”. Fui para casa sem esperança. E dois meses depois eles falaram que eu tinha passado na seleção e que faria parte da série”, contou a menina.

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Notícia Boa
Checamos
Polícia
Gastronomia
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias