CORONAVÍRUS

No Maranhão

942
57605
31569
1399
É DIA DE FEIRA

1ª edição da Feira da Resex de Tauá Mirim é realizada nesta quinta (5)

1ª edição da Feira da RESEX de Tauá-Mirim será nesta quinta-feira, 5, na Universidade Federal do Maranhão com produtores de povoados da Grande Ilha

Reprodução

Alimentos saudáveis produzidos em roçados, quintais, rios, igarapés, mangues e praias da Zona Rural da Ilha de São Luís, livres de agrotóxicos estarão à venda na 1ª edição da Feira da RESEX de Tauá-Mirim, na UFMA Campus do Bacanga. O local da Feira é de fácil acesso a toda comunidade universitária e moradores(as) de bairros vizinhos: ao lado do prédio de Políticas Públicas (próximo ao CEB Velho), das 9h às 14h30h.

Agricultores(as), pescadores(as) artesanais e marisqueiros(as) das comunidades rurais da Resex (Taim, Jacamim, Rio dos Cachorros, Cajueiro, Tauá-Mirim) além de produtores(as) de Inhaúma, Igaraú, Vila Nova República, Matinha, Pedrinhas e Vila Embratel apresentarão grande variedade de alimentos saudáveis produzidos em seus roçados, quintais, rios, igarapés, mangues e praias da Zona Rural da Ilha de São Luís, além de artesanatos de qualidade e outros produtos. A Feira contará, ainda, com a participação de produtores(as) da Reserva Extrativista Marinha de Cururupu/MA.

 Para o professor Horácio Antunes, da Universidade Federal do Maranhão, do Grupo de Estudos: Desenvolvimento, Modernidade e Meio Ambiente (GEDMMA) e um dos organizadores da Feira, a iniciativa do Conselho Gestor é uma forma de apresentar à sociedade ludovicense a produção que existe nas 12 comunidades que se localizam no perímetro da Resex de Tauá-Mirim. A Resex de Tauá-Mirim é uma antiga reivindicação das comunidades, que proclamaram sua criação em março de 2015.  

Essas comunidades garantem parte importante da produção de alimentos saudáveis e de base agroecológica consumidos na Ilha de São Luís tendo papel relevante na promoção da segurança alimentar e nutricional – da população em geral – e trabalho, renda na Zona Rural da capital maranhense.

 “A feira tem um pouco de sentido de mostrar que aquela área não é uma área improdutiva, aliás, boa parte do que a gente compra nos mercados da cidade vem ali daquela região, então é um sentido de afirmação positiva de um modelo de desenvolvimento da sociedade que não passa, necessariamente, pela destruição ambiental, mas que ajude por um lado a conservar a nossa ilha, já tão degradada, mas também as comunidades tradicionais”, apontou o professor.  

O evento é uma promoção do Conselho da RESEX de Tauá-Mirim com apoio da APRUMA, Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Grupo de Estudos: Desenvolvimento, Modernidade e Meio Ambiente (GEDMMA), Associação Agroecológica Tijupá (TIJUPA) e Movimento de Trabalhadoras e Trabalhadores Sem Terra (MST).

Entre os produtos que serão comercializados e que também poderão ser consumidos no local estão: Banana, melancia, manga, carambola, limão, cheiro verde, vinagreira, alface, maxixe, quiabo, tomate e couve, farinha, macaxeira, pimenta, azeite de babaçu, biscoito de Mesocarpo de Babaçu, cocada, polpas de frutas, geleia de frutas nativas, mel de abelha, caranguejo, peixe e camarão, galinha caipira abatida e ovos de caipira, plantas medicinais e ornamentais. Além de refeições, sururu ao leite de coco, camarão (torta e bobó), peixe frito, arroz de cuxá, pato ao molho pardo, galinha caipira, maxixada, lanches, sucos naturais: caju e abacaxi, café, bolos diversos, mingau de mesocarpo de babaçu, caldo de macaxeira, macaxeira cozida.

VER COMENTÁRIOS
Concursos e Emprego
Notícia Boa
Checamos
Polícia
Gastronomia
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias