História e cultura

Rua grande: A história por trás do maior centro comercial de São Luís

Um dos maiores centros comerciais de São Luís

Reprodução

A Rua Grande pode ser considerada uma das ruas mais antigas de São Luís, tendo sua marcação em mapas desde o ano de 1698. É a rua mais movimentada e responsável por praticamente toda a fama de um dos maiores centros comerciais da Ilha, tendo como seu primeiro nome, Caminho Grande, Rua Oswaldo Cruz ou mais comumente descrita, a Rua Grande.

Em tempos antigos servia como rua de passeio para as moças de família, que na ocasião exibiam a mais cara moda de Paris e Lisboa. A rua grande possui surpresas históricas e arquitetônicas. Como por exemplo, o antigo cinema Éden que fica logo no inicio da rua, em frente a ele nasceu Manoel Odorico Mendes; e na esquina com a rua do Passeio fica o Palacete Gentil Braga, casarão com vinte e duas janelas em ogiva e azulejo português.

 Ao longo de toda sua existência, nunca perdeu o seu charme e sua importância, acompanhe um pouco da sua cronologia da Rua Grande.

1640 – Por conta da invasão dos holandeses, a Rua Grande já possuía 4 quadras e poucos edifícios, indo até a rua da Cruz.

1665 – Os Governantes transformam o caminho em uma rua, facilitando a passagem de carros de boi, melhorando o transporte de mercadorias do Centro ao Cutim.

1743 – Época da construção da Igreja de Nossa Senhora da Conceição dos Mulatos, sede paroquial a partir de 1805.

1844 – A rua já se entendia até a rua do Outeiro, a partir dai, era chamada de Caminho Grande, onde já existam várias Quintas.

1855 – Em 10 de março deste ano, é concluído as obras do calçamento, durante a administração do Sr. Eduardo Olímpio Machado.

1912 – Instalação de uma oficina em Icatu, especializada na lavra de pedras de granito no formato de paralelepípedos, usadas no calçamento das ruas. No mesmo ano a Igreja da Nossa Senhora da Conceição como sede da Freguesia do mesmo nome, a rua Grande possuía linha de bonde em sua extensão, indo até o Anil, e uma outra linha cortava ligando o Largo dos Remédios até a Quinta do Matadouro (São Pantaleão), pelas ruas Rio Branco, do Passeio e a atual rua do Norte.

1939 – Foi demolida a Igreja N. S. da Conceição, e no local foi construído o edifício Caiçara.

1986 – O decreto de Tombamento Estadual de uma área de 160 hectares, no Centro Histórico de São Luís, abrangeu praticamente toda a rua Grande.

1990 – A prefeitura executa um novo projeto de urbanização para a rua, com o alargamento das calçadas, incluindo piso em placas de concreto pré-moldados, mantendo-se a pista com paralelepípedos.

Observando sua cronologia podemos imaginar como a tão conhecida rua Grande era em outros tempos, mesmo com as novas reformas feitas não perdeu o seu charme.

Informações retiradas do livro: Rua Grande: Um Passeio no Tempo

VER COMENTÁRIOS
COLUNAS E OPINIÃO
Concursos e Emprego
Polícia
Você, Gastrô!
Entretenimento e Cultura
Mais Notícias